O primeiro ministro do Reino Unido, David Cameron, revelou que, se reeleito, planeja bloquear aplicativos com criptografia de ponta a ponta, como WhatsApp e iMessage, a menos que o governo tenha acesso via backdoor às mensagens dos usuários.

Citando o ataque à Charlie Hebdo para dar corpo ao seu argumento, Cameron usou como exemplo as conversas por cartas e telefonemas como parte das técnicas de vigilância e segurança – essas podem ser monitoradas por investigadores se um mandado for concedido; apps criptogrados, não.

“Nós permitiremos um meio de comunicação que simplesmente é impossível de ser lido?”, disse Cameron enquanto fazia campanha. “Minha resposta para essa pergunta é: ‘não, não permitiremos.’”

“Os ataques em Paris demonstraram a escala da ameaça que enfrentamos e a necessidade de termos poderes através da nossa inteligência e agências de segurança para manter o nosso povo seguro.”

Cameron também revelou suas intenções de ressuscitar o chamado “Snooper’s charter”, uma antiga lei que dá ao governo britânico o poder de saber com quem e por quanto tempo você fala.

Não está claro, nem foi explicado como, o governo de Cameron conseguirá cumprir essa promessa – com sistemas e apps aumentando a criptografia e tornando-a padrão exatamente para evitar a espionagem de órgãos como a NSA e o GCHQ, além da parte técnica, conservadores britânicos terão trabalho para fazer dessa proposta algo popular entre os cidadãos. [Independent]