Desde que o Google comprou a Fitbit, as pessoas parecem ter caído em uma de duas categorias: aqueles que não se importam com as implicações de privacidade e os que realmente se importam. Para este último grupo, isso significa que esta temporada de festas é uma boa oportunidade para comprar um smartwatch ou rastreador substituto. Mas qual deles?

Embora o Gizmodo tenha um ótimo guia de compras (com curadoria minha), ele apresenta os Fitbits em muitas das categorias. Porque vamos ser sinceros, deixando de lado as preocupações com a privacidade, a Fitbit sabe o que está fazendo quando se trata de hardware. Seu software também é super simples e fácil de usar para rastreamento geral. Só que, embora Fitbits seja o termo abreviado que as pessoas usam para descrever essa categoria de gadgets, eles não são tudo.

Um breve comentário aqui: não há muita clareza sobre privacidade quando se trata de seus dados de saúde. Todas essas empresas publicaram suas próprias políticas de privacidade, mas muitas também são cúmplices em programas corporativos de bem-estar com empregadores e seguradoras. Usar um rastreador ou SmartWatch para monitorar sua saúde vai exigir que você, pelo menos, reconheça que a sua informação – embora agregada e tornada anônima -será usado para o lucro.

É uma troca definitiva, mas somente você pode decidir se, digamos, para ter a conveniência de monitorar sua menstruação pelo pulso vale a pena fornecer esses dados confidenciais a qualquer empresa. Eu escrevi sobre por que é meio hipócrita estar em pé de guerra sobre o Google possuir dados da Fitbit quando a Fitbit já lucra com isso há anos. Dito isto, eu entendo essa preocupação legítima. Além disso, há muitos de nós por aí que são irrevogavelmente viciados neste jogo auto-quantificável e querem alternativas.

Muitos leitores comentaram que é por isso que é um bom momento para aderir ao Apple Watch. A Apple fez um bom trabalho de marketing como a única empresa que se preocupa com a sua privacidade. Isso é meio que verdade. A Apple é melhor que a maioria, mas também participa de programas corporativos de bem-estar. E, se você participar dos estudos da empresa, está consentindo em fornecer seus dados a terceiros de algum tipo. No entanto, se você é um usuário do iOS procurando uma experiência com smartwatch, é difícil vencer o Series 5. Sua tela sempre ativa é melhor que a do Fitbit Versa 2, e as recentes atualizações de software do aplicativo Health and Activity aprimoraram a contextualização dos dados na plataforma como um todo.

Mas recomendar o Apple Watch também é banal e deixa de fora os milhares de usuários do Android. Além disso, o Apple Watch começa em US$ 400, o que é caro demais, a menos que você esteja disposto a optar por um Series 3 com desconto. Para ficar claro, o Series 3 ainda é um ótimo relógio, mas não vem com a tela mais recente ou recursos ECG (eletrocardiograma). Se você deseja substituir um Versa, o Samsung Galaxy Watch Active2 é uma escolha decente. É repleto de recursos de atividade física e o Tizen OS é melhor que o WearOS do Google. (Além disso, com certeza o objetivo de substituir os Fitbits é ficar longe do Google, então…) Eu tive problemas de precisão quando o testei, mas a Samsung atualizou seu software desde então.

Mas o maior concorrente do Fitbit é provavelmente a Garmin. Em termos de dados, você terá métricas muito mais detalhadas e, no início do ano, a Garmin finalmente atualizou sua linha de relógios inteligentes para que não pareça mais tão horrível. O Venu, seu primeiro smartwatch AMOLED, é bastante sofisticado. Enquanto isso, sua linha Vivomove analógica híbrida é simplesmente deslumbrante. Há também as linhas Vivosmart e Vivofit, que servem como rastreadores básicos. Uma observação importante – especialmente se você estiver com orçamento limitado – quase todas essas opções são mais caras que os Fitbits correspondentes.

Isso me leva ao mar de rastreadores de atividade física baratos, que desbancaram o domínio da Fitbit nos últimos anos. Embora eu ache que o Fossil Hybrid HR é um sucessor digno da Pebble, muitos fãs da Pebble me informaram que o Amazfit Cor ou Amazfit Bip também preenchem o nicho de rastreadores simples e atraentes que não custam um rim. E seria negligente se não mencionasse o Xiaomi Mi Band 4, que é estupidamente barato por US$ 40 e acompanha basicamente tudo o que o Fitbit Inspire HR faz.

Todos esses produtos têm suas peculiaridades individuais. A maioria não tem o aspecto comunitário que o Fitbit possui. Portanto, embora alguns desafios sejam incorporados a eles, como o Garmins, os dispositivos simplesmente não são tão onipresentes. O aplicativo da Fitbit também não fornece as estatísticas mais detalhadas – para não mencionar que agora eles começaram a bloquear dados mais significativos por trás de uma assinatura – mas é um aplicativo bem projetado. Alguns dos outros (especialmente opções dentro do orçamento) ainda estão trabalhando nisso. No entanto, a maioria dos smartwatches que mencionei são tão bons, se não melhores, que o Versa. Quanto aos rastreadores básicos, eles proporcionam uma experiência comparável em relação à precisão – e esse é o ponto, não é?