Para a maioria das pessoas, trocar de emprego é um processo bem simples. No máximo, você tem que postar alguma coisinha no Facebook e atualizar o LinkedIn. Agora, se você é o Imperador Japonês e decide abdicar do trono, isso pode gerar um problemão. Tudo porque o calendário japonês usa um caractere para definir o nome da era. E, no momento, este caractere não existe nos computadores.

Como um emoji é criado, e quais ainda estão por vir

O Japão usa o calendário gregoriano, mas ainda mantém seu próprio sistema. O calendário japonês marca as datas usando eras para representar o atual imperador. No caso de Akihito, sua coroação em janeiro de 1989 marca a era Heisei. O ano atual, portanto, é Heisei 30. Ano que vem, ele deve abdicar do cargo, e o príncipe Naruhito assumirá o Trono de Crisântemo. No entanto, o nome da era ainda não foi anunciado, o que está criando dificuldades para criar o caractere kanji representando o nome.

O nome da era costuma ser anunciado logo após a troca no trono. Uma abdicação não costuma ser o motivo, e sim a morte do atual imperador. A palavra é uma construção usando normalmente dois caracteres, que se juntam para formar um único. A era Heisei, por exemplo, é expressa por único caractere, “㍻”, e não os dois que o formam a palavra, “平成”.

Isso pode não parecer um problema muito grande. No entanto, representa um trabalho extra para o Unicode Consortium, organização responsável por estabelecer padrões acerca de texto (e emoji) em dispositivos de todo o mundo. O caractere da próxima era, que ainda não existe, já tem uma referência na organização: U+32FF. A era atual, Heisei, tem o caractere  “㍻”, ou U+337B.

Além disso, praticamente toda a era da informação aconteceu dentro da era Heisei, então os computadores japoneses nunca precisaram passar por uma mudança do tipo ou lidar com um caractere novo neste campo em seus calendários.

Shawn Steele, da Microsoft, fala até mesmo em um mini Bug do Milênio local. Em um post no blog da companhia, ele comenta que a atualização de primavera do Windows terá um espaço dedicado ao novo caractere, ainda que ele não exista no momento. Desenvolvedores estão trabalhando para ver como seus softwares lidam com datas de uma nova era e se conseguem converter datas de uma era para outra.

Diz o jornal inglês The Guardian:

O Unicode precisa definir os padrões para cada novo caractere. No entanto, ele não pode fazer isso até saber como será chamado, e isso não acontecerá antes das últimas semanas de fevereiro de 2019, na melhor das hipóteses. Infelizmente, a versão 12 do Unicode deve sair no começo de março, o que significa que ela tem que estar pronta antes disso, e não pode atrasar.

O timing ruim significa que o Unicode talvez precise consertar a versão 12, já programada, com uma atualização ruim, algo como uma versão 12.1.

Mas mesmo um update menor vai causar grandes dores de cabeça à equipe. Em um memorando, Ken Whistler, diretor técnico do Unicode Consortium, fala sobre o caractere em questão. “Os caracteres codificados para estes símbolos de calendário no Unicode têm decomposições de compatibilidade, e estas decomposições dependem do nome escolhido para a era”, nota Whistler. “Como a decomposição envolvendo a normatização do Unicode é imutável depois de atribuída, o UTC não pode cometer nenhum erro aqui nem tentar adivinhar e liberar o código antecipadamente.”

Como as grandes atualizações do Unicode demandam muitos recursos, como lembra o diretor, sua proposta envolve um planejamento muito sério, com um foco mais estreito se comparado a outras atualizações pequenas. “É muita coisa para pensar, mas acho que a UTC estará bem melhor se tiver um plano específico. É melhor do que reagir em modo de crise quando o nome da nova era for anunciado ano que vem, próximo do lançamento do Unicode 12.0.”

Imagem do topo: AP