1. Windows Phone 7 – A Microsoft teve a coragem de recomeçar o zero o seu siste do operacional para smartphones. O resultado foi algo como nunca havíamos visto antes, bem diferente da dupla Android/iOS. Como disse o engenheiro-chefe do projeto: “Nada contra PCs, eu os amo. Mas o celular tem que ser alguma coisa diferente dessa coleção de ícones em uma tela parada, como no computador”. Os primeiros aparelhos só chegaram em novembro, e o público ainda não abraçou de fato o sistema que, para gente, “mudava tudo”. Ele não fracassou de forma alguma, parece que caminha para o terceiro lugar. Mas será suficiente para a Microsoft? Veremos.

2. Google Buzz – A ideia de um “Twitter do Google” parecia boa, certa, e… Desnecessária. Mas bem, todo mundo estava atento, e muita gente começou a usar (alguns usam até hoje) o serviço assim que saiu, até descobrir que ele era meio redundante em relação às outras redes sociais.

3. Androids da Motorola – Essa foto aí em cima foi um furo nosso: descobrimos que a Motorola estava preparando o lançamento de dois smartphones com Android um pouco mais baratos que o Milestone e Dext, lançados meses antes. Havia o estranho Backflip, mas a estrela era mesmo o Quench, que é um aparelho até bem decente pelo preço. O triste foi ver que depois a empresa não fez qualquer esforço para atualizá-lo. Quem conseguiu jogar o Android 2.1 nele está bem feliz.

4. Giz Explica Câmeras – Num dos mais completos Giz Explica que já fizemos, listamos basicamente tudo que você precisa saber antes de comprar uma câmera – ou usar melhor uma recém-comprada. O nosso completíssimo hands-on da Panasonic ZS-7 também ajudou a fazer com que fevereiro fosse um mês feliz para os fotógrafos.

5. HTC HD2 – Um dos smartphones que nos impressionou em Barcelona foi esse monstrinho da HTC, com tudo do bom e do melhor em termos de hardware, uma tela de 4” mas com o moribundo Windows Mobile 6.5. A interface Sense por cima e as infinitas possibilidades de hackeá-lo (há gente rodando Android 2.3 nele, por exemplo) chamaram a atenção de bastante gente. Conheço bastante gente que faturou o bichão no MercadoLivre ou em viagens ao exterior e não se arrependem.