Você já leu o nosso veredicto final, mas como há uma tonelada de coisas novas no Windows 7, nós juntamos tudo aqui em uma única lista fácil. E de quebra você ainda leva umas opiniões.

A interface com o usuário
Eis aqui tudo o que melhorou na interface com o usuário do Windows 7. O Win 7 mantece o desktop transparente Aero do Vista, mas acrescentou muitas outras melhorias de usabilidade além dele. Em suma, eles estenderam os esforços do Vista para conseguirem melhorar o nível de beleza visual e ainda manterem a funcionalidade. Agora há uma nova barra de tarefa, jump lists, Aero Peek, fixação de ícones, Aero Shake, alinhamento esquerda/direita, gadgets de desktop, temas e novos atalhos no Windows Explorer. Novamente, veja a enorme lista aqui para que você possa ver o que mudou quanto à interface com o usuário do Vista para o Win7.

Drivers
Além de melhorias na superfície e na usabilidade, a Microsoft lidou com uma das maiores reclamações sobre o Vista – os drivers – com o Device Stage. O Device Stage confere a você uma maneira de organizar os drivers pré-instalados (com – esperamos – muito menos problemas de compatibilidade de drivers agora) junto com coisas que você pode fazer com estes add-nos de terceiros para hardware. Tratam-se de serviços, barra de tarefas e outras integrações do menu pop-up com estes aparelhos, tudo relacionado aqui.

Mídia
É claro que tem o Windows Media Player 12 e a sua capacidade de fazer streaming de música direto para os dispositivos na rede. Você seleciona “Play to…” e surge um menu exibindo o que está na rede que você pode jogar música ou vídeo. Para mais detalhes sobre isso, clique aqui, mas tenha em mente que a compatibilidade está constantemente sendo atualizada e a lista de dispositivos compatíveis e formatos de conteúdo crescerá quando as pessoas começarem a usar o SO em massa.

E tem o Media Center! Um dos recursos prediletos no Windows melhora em relação à experiência no Vista com reparos na usabilidade e uma pancada de novos recursos como mais transparência, para que você possa ficar de olho no que você está assistindo enquanto navega pelos menus. Tem um bocado de coisa nova, então se você for um usuário do Media Center, você deve se familiarizar com ele. No geral, nós ainda acreditamos que o Media Center é a melhor plataforma TV-DVR que há já que fica conectado a um computador e pode ser facilmente (e de maneira barata) expandido via Xbox 360. Se você tiver um PC CableCard rodando Windows 7, você estará feito por um bom tempo. Além disso, o 360 recebe também a nova interface com o usuário do Windows 7 no modo Extender, contanto o seu computador host esteja rodando Windows 7.

Segurança
Não seria exagero dizer que o Windows 7 finalmente atingiu o ponto no qual a Microsoft acerta na implementação da segurança. Após toparmos com o Controle de Conta de Usuário – uma ideia inteligente que trabalha para se certificar de que os usuários não permitam que os programas acessem partes sensíveis do sistema – no Vista, uma coisinha pra lá de irritante, eles encontraram o bom equilíbrio no Windows 7. Você também tem o Action Center, que permite que você acesse tudo, desde apenas a sua barra de tarefas ao suporte interno a dispositivos biométricos.

Networking

Outra grande reclamação no Vista era o networking: mais especificamente, networking wireless e quão ruim era usá-lo. A implementação do Windows 7 está bastante melhorada e também muda a implementação básica de rede para melhor. Tem também um novo conceito chamado HomeGroup, que basicamente faz com que os seus múltiplos PCs na rede compartilhem arquivos e recursos uns com os outros ao entrarem em um “grupo”. Ele teoricamente é mais fácil que o método antigo de juntar-se a grupos de trabalho e certificar-se que cada PC possui o nome correto e a configuração correta, e na maior parte das vezes de fato é mais fácil, mesmo com as limitações mencionadas na review de ontem. Veja o HomeGroup em detalhes aqui.

Input alternativo
Para os dispositivos mais esotéricos de input, há o multitoque, controles do Pen e reconhecimento de escrita. Ele basicamente pega o Microsoft Surface e o transporta para um computador que você possa de fato usar. Apesar de nenhuma máquina que possa se utilizar de tais recursos de maneira que faça uma real diferença estar no mercado no momento, você pode apostar a sua vida que se o Apple Tablet levar adiante o fator de forma do tablet, uma porrada de fabricantes acompanharão a evolução das máquinas que se utilizarem do input de multitoque do Windows 7. E se você quiser saber como é a sensação de usar o multitoque do Win7, dê uma olhada aqui para ver os elementos básicos e aqui para o Windows 7 Touch Pack, que é opcional.

Recursos animais tardios

A Microsoft até mesmo acrescentou novos recursos até o release candidate, nos surpreendendo com muitos truques bacanas. Tem streaming da sua biblioteca musical pela Internet com o Windows Media Player e o modo Windows XP, que confere a você um ambiente virtual completo do Windows XP (um desktop dentro de um desktop). Ambos são o tipo de extras que você não esperaria ser integrado dentro de um SO – há utilitários de terceiros feitos só para executar estes tipos de funções – mas a Microsoft quis fornecer um pouco mais aos seus usuários.

Eis aqui algo que você definitivamente deveria ler antes de instalar o Windows 7: o porquê de você dever buscar a versão 64 bits. A grande razão é que o Windows de 32 bits só tem acesso a 4GB de RAM, no máximo. Você pode achar que 4GB já são pra lá de suficiente por ora, mas pense naqueles aplicativos monstruosos que você usará daqui a uns 2 anos. Prepare-se já para o seu futuro e vá de 64 bits. Não há muita desvantagem em fazer este salto.

Mais coisinhas
E tem também a miscelânea de pequenos recursos que são legais de se ter e que você não saberá que precisava deles até topar com eles alguns meses depois de instalá-los:
Queima de ISO nativa
• Manipulação nativa de arquivos Docx
• Um menu ‘enviar para’ expandido
Virtual Wi-fi, uma maneira de compartilhar um adaptador Wi-fi em muitos para compartilhar um hotspot com os seus amigos (ou outros dispositivos)
GPGPU, um paradigma de computação que permite que a sua placa de vídeo ajude a lidar com o peso de tantos cálculos. Você não verá isto todos os dias, mas saberá que ele está tornando a sua experiência no geral mais veloz
• A calculadora agora possui uma função de cálculo de pagamento de hipoteca/prestação
• Ai, cara, saca só quão útil é o Windows Key agora
• O Windows 7 também eleva o Performance Meter para 7,9
• As Bibliotecas são a nova maneira do Win 7 organizar as suas músicas e vídeos. Elas basicamente são pastas inteligentes que agregam múltiplas pastas comuns
• O Problem Steps Recorder, uma maneira de você automaticamente gerar um documento que acompanha passo-a-passo seja lá qual for o problema do seu computador, ainda está lá. Nós pensávamos que isto seria removido após a fase beta/RC, mas você ainda pode usá-lo para gerar relatórios de problemas e descobrir remotamente o porquê dos seus pais travarem seus computadores sempre que “apenas clicam em um ícone”.

Win 7 vs. Snow Leopard
E, como um bônus, nós comparamos o Windows 7 com o Snow Leopard. O comparativo de recursos Snow Leopard vs. Windows 7 é bastante definitivo, mas não é uma review, já que o Snow Leopard ainda não foi lançado. Quando o Snow Leopard for lançado, nós voltaremos a tocar no assunto caso a Apple decida enfiar algo insano e diferente de última hora.

 
Extras
Como instalá-lo em qualquer netbook
Aqueles boatos sobre o Windows 7 bloquear codecs de terceiros eram falsos. Nós instalamos um codec pack popular e ele funcionou numa boa no Windows 7
Eis aqui alguns conceitos do Windows 7 que não foram incluídos no release final
Você pode desativar praticamente qualquer grande recurso no Windows 7
As mudanças do beta para o RC
Eis como pegar de volta a barra de inicialização rápida do Windows 7, caso você prefira aquela opção em vez da maneira como o Windows 7 executa as coisas. Nós de fato gostamos dela, e gostamos muito.