A Kodak trouxe agora para o Brasil a videocâmera Kodak Zx1: um aparelho que grava vídeos em alta definição a 30fps e 60fps e que cabe no bolso. Por fora, ela talvez tenha impressionado você, e não de uma forma positiva — mas por dentro, até que ela é bonita. Por R$ 699 (ou R$ 599, no submarino), ela é uma boa compra na cada vez mais concorrida categoria de filmadoras-caixinhas? 

  

Sabe aquela menina da escola/faculdade que você sabe que é legal e interessante, mas como ela é feinha fica difícil explicar pros amigos por que você gosta dela? Assim é a Kodak Zx1. Meus amigos acharam a câmera muito estranha: gordinha, com a telinha apertada na parte de cima e os muitos botões pouco intuitivos no… no tórax.

  

Mas ela cabe direitinho na mão, eu disse! Ela tem entrada RCA e HDMI, além da USB, e vem com os cabos correspondentes. Usa cartão de memória SD/SDHC de até 32GB. E todas estas entradas ficam cobertas com tampas grossas de borracha, dando um visual robusto à câmera. Além disso, ela funciona com duas pilhas AA recarregáveis que duram bastante — 154 minutos contínuos de vídeo, segundo a Kodak.

Se os botões dela são estranhos à primeira vista e meio confusos visualmente, rapidamente você se acostuma. Para gravar, é só apertar o botão redondo do meio. Para mudar a qualidade do vídeo, aperte a tecla para a esquerda ou direita. O zoom é controlado apertando-se para cima ou para baixo. Os outros botões são mais confusos e podem levar você aos filmes gravados, ou de volta ao modo câmera, ou não fazer nada, dependendo do modo (exibição ou filmagem).

E para que servem esses botões: gravar vídeos HD com compressão H.264 com resolução 720p a 30fps (quadros por segundo) e a 60fps também — ou seja, a Zx1 pode capturar movimentos rápidos com nitidez. Ela também grava vídeos em VGA, que ocupam bem menos espaço e ficam relativamente nítidos. Fui até o Parque do Ibirapuera para testar a câmera, e gravei vídeos em HD, HD60 e VGA. Compare:

O som também conta na qualidade do vídeo, e fiquei satisfeito: geralmente os vídeos que gravo ficam com som chiado, porque o microfone é ruim ou está mal-posicionado no aparelho. Como você pode ver pelo vídeo abaixo, onde gravei um desfile e a Kodak Zx1 deu conta do recado.

O som é claro e nítido: neste outro vídeo, dá pra ouvir os pássaros cantando e as pessoas falando sem nehum chiado. No fim do vídeo, usei o zoom — o zoom digital de até 2x funciona mesmo enquanto você está gravando o vídeo. Como você pode ver abaixo, a imagem não piora muito em qualidade com o zoom (descontando a compressão do Youtube).

Um grande problema na câmera é que os vídeos saem tremidos. Sim, isso acontece em muitas câmeras — mas agora, em alta definição, os movimentos da sua mão ficam ainda mais aparentes no vídeo, então faz falta algum mecanismo de estabilização de imagem.

E à noite? Os vídeos perdem bastante em nitidez, e mover a câmera para os lados distorce bastante a imagem, com artefatos na escuridão. O mesmo acontece em lugares fechados. Neste vídeo da Avenida Paulista à noite, você pode ver como a imagem fica ruim.

A câmera também tira fotos de 3MP (interpolados), e sofre com os mesmos problemas de uma câmera de celular: com bastante luz, a imagem fica boa, mas granulada e com cores lavadas; e com pouca iluminação, a imagem fica borrada e pouco nítida.

   

Falta a função de autofoco/macro nesta câmera: não dá pra gravar vídeos muito próximo do objeto. Isso fez minha metáfora da menina aparentemente feinha mas interessante falhar: todas usam óculos — a Zx1 veio sem.

Ao ser ligada na TV, você vê a mesma interface em uma tela maior. Ligada ao computador, ela vira um pen-drive com um programa portátil (não precisa de instalação) para edição de vídeos e upload para o Youtube. É o típico crapware que costuma acompanhar bons gadgets — mais fácil cortar no Windows Movie Maker e enviar pela interface web do Youtube, mesmo.

Por fim, a Zx1 é à prova de respingos e filma sem medo na chuva. Na verdade, a Kodak quis dar um ar de "ação e aventura" à câmera. Conseguiu? Acho que não, viu?

Não há muito mais a falar sobre ela. O que importa é o seguinte: a Zx1 é legal, faz bons vídeos e é portátil. Um gadget bom, mas por R$ 699, ridiculamente caro.Nos EUA, essa versão custa US$ 109 e a Kodak já lançou a bem falada Zi8, superior e não muito mais cara. Com a chegada ao Brasil da Samsung HMX U-10, um pouco mais cara, mas que tira fotos em 10MP, tenha certeza que a tendência das videocâmeras de bolso veio pra ficar. Mas talvez seja melhor esperar um pouco para ver qual a melhor opção. Testaremos.

 

À prova d’água, o que significa que chuva não será um problema ao filmar

 Som tem boa qualidade

Fotos decentes apenas quando há boa iluminação

 Zoom digital não estraga imagem, mas zoom ótico cairia bem

Design estranho

 Botões confusos e pouco intuitivos, que podem ou não fazer alguma coisa

 Faltam função macro e estabilização de imagem

 Preço fora da realidade

 

Características:

Tamanho: 50,1 x 107 x 20 mm

Peso: 90 g sem baterias

Visor: Tela LCD de 2,0 pol.

Tipo de sensor: Tipo 1/4,5, 1,6 MP CMOS

Lente: 4,1 mm, f/2,8 de foco fixo

Zoom: Digital de 2X

Sistema de foco: Fixo

Modo de foco: Normal

Alcance do foco: 70 cm (27,6 pol.) – infinito

Equilíbrio de branco: Automático

Formato de captura de vídeo: H.264 (MOV), AAC LC

Configurações de qualidade de vídeo:

  • HD60: 720p a 60 fps – 16:9
  • Alta definição: 720p a 30 fps – 16:9 (padrão)
  • VGA: 640 x 480 – 4:3

Modo de reprodução:

  • FF e REW: 2X, 4X, 8X, 16X
  • Câmara lenta, FF e REW: 1/2X, 1/4X, 1/8X, 1/16X

Armazenamento de imagem: Memória interna de 128 MB*; Slot de expansão para Cartão SD/SDHC

Formato de captura estática: JPEG

Qualidade de imagem estática: 3 MP (interpolado)

Microfone: Mono

Alto-falante: Sim

Interface E/S: USB 2.0 (alta velocidade); Saída HDMI; Saída AV; CC-in; slot para Cartão SD/SDHC

Montagem em tripé: 1/4 pol. padrão

Alimentação: Bateria Recarregável de Íon de Lítio para Câmera Digital KODAK KLIC-8000; pilha de lítio CRV3; 2 baterias recarregáveis AA Ni-MH;

2 pilhas Alcalinas AA ; CC-in para adaptador 5V CC

Garantia: Um ano