O Nokia Booklet 3G é um dos netbooks mais bacanas que o seu dinheiro pode comprar. Ele chega até a parecer um MacBook Pro de 10". Mas ainda é apenas um netbook, e é aí que mora o problema.

Preço
US$ 300 com contrato de 2 anos da AT&T; US$ 600 a la carte

Veredicto
A Nokia fez um belo netbook, mas não fez nada para redefinir o gênero. O Booklet 3G de 10" tem a configuração típica: processador Atom 1.6GHz, HD de 120GB e 1GB de RAM. Como ele roda Windows 7, isso significa que a performance é no máximo "passável". Cada vez que um programa começava a instalar ou um vídeo começava a rodar, eu chegava mais perto do que gostaria de ter vontade real de bater a minha cabeça contra a parede.

Típico.

O que não é tão típico é a construção do hardware. Bonito, resistente, meio "unibody", com uma articulação que quase alcança os 180 graus, saída HDMI (não que você consiga aproveitar vídeos HD em um Atom) e, claro, 3G e GPS solidamente integrados (apesar de que o software Ovi da Nokia aparentemente precisa de um telefone ou PC para ser ativado — isso me fez tentar algumas coisas por um tempo e depois simplesmente desistir de testar os mapas).

A duração da bateria é bem impressionante, também. navegando o tempo todo em 3G, com brilho de tela em 80% e rodando apps, a bateria 16 células rodou por pouco mais de 6 horas e meia. Este foi um teste pesadíssimo, então bastaria diminuir um pouco o brilho da tela e/ou navegar via wi-fi para conseguir uma duração que te permita trabalhar o dia inteiro sem precisar recarregar.

Mas no fim, mesmo se tratando de um ótimo netbook, o preço do Booklet é um pouco extravagante demais para o que você está levando: uma versão um pouco mais power da mesma máquina que você pode comprar da Acer, Asus, HP etc, pela metade do preço. Enquanto isso, há um monte de notebooks na faixa dos US$ 700 com telas maiores, melhor performance e praticamente tão portáteis quanto (exceto pelo fato de que eles quase sempre precisam mini modems 3G USB).

 Hardware de qualidade
 Bateria dura muito
 O monitor de plástico parece de segunda linha
 É um netbook que custa 600 dólares