Nuvens são raras em Marte e geralmente só aparecem na época mais fria do ano. Porém, há um ano marciano, a Nasa notou algumas delas se formando e decidiu documentá-las com o rover Curiosity. Nos últimos meses, o robô registrou algumas imagens incríveis que nos mostram como são os dias nublados no Planeta Vermelho.

A Nasa se refere a essas nuvens inesperadas como nuvens “precoces”. Em um comunicado, a agência afirmou que a equipe já fez uma nova descoberta sobre o evento: elas estão em uma altitude maior do que o normal e são compostas de dióxido de carbono congelado. “Os cientistas procuram pistas sutis para estabelecer a altitude das nuvens, e serão necessárias mais análises para novas conclusões”, dizem os cientistas.

Além desse registro, a Nasa também testemunhou algumas nuvens impressionantes: sã0 as nuvens noctilucentes e as nuvens iridescentes. As primeiras, também conhecidas como nuvens crepusculares, “ficam mais brilhantes à medida que se enchem de cristais e escurecem depois que a posição do Sol no céu cai abaixo de sua altitude”, disse a Nasa.

O rover, por meio de fotos tiradas por seu MastCam, também nos mostrou que as nuvens em Marte podem ter cores brilhantes. Essas são chamadas de nuvens iridescentes, ou nuvens de “madrepérola”. “Se você vir uma nuvem com um conjunto de cores pastéis cintilantes, é porque as partículas da nuvem são quase idênticas em tamanho”, disse Mark Lemmon, cientista atmosférico do Instituto de Ciência Espacial em Boulder, Colorado. “Isso geralmente acontece logo depois que as nuvens se formaram e todas cresceram na mesma velocidade.”

Nuvens iridescentes

Assine a newsletter do Gizmodo

As fotos da nuvem do Curiosity nos oferecem uma nova perspectiva de Marte. Numa época em que nossos rovers e helicópteros nos enviam fotos fascinantes da superfície rochosa do planeta, Curiosity nos mostra que o planeta pode ser mais colorido do que imaginávamos.