François Beaufort é o cara que revelou pistas no Chrome que apontam para o Google Now no desktop, e para uma central de notificações no navegador. Mas agora, ele diz revelar algo sobre hardware: este pode ser o Chromebook Pixel, um laptop com design feito pelo Google e com touchscreen de 4 milhões de pixels.

Por enquanto há poucos detalhes adicionais sobre ele. Pelo vídeo, é possível notar que o teclado é mesmo semelhante ao de outros Chromebooks, com a tecla Caps Lock substituída pela tecla Busca, por exemplo.

Beaufort diz que a tela possui resolução 2560 x 1700, enquanto o vídeo diz que a tela tem 4 milhões de pixels – o que sugere uma resolução de 2560 x 1600, igual à do Nexus 10. Como o Chrome OS lidaria com uma resolução tão alta? E será que isso não teria impacto na bateria, algo precioso em um laptop voltado apenas para tarefas na web?

Segundo Beaufort, este dispositivo está sendo testado no Google agora mesmo. Tem mais: o domínio chromebookpixel.com foi registrado em outubro de 2012 pela MarkMonitor, que costuma registrar domínios para o Google.

Mas há uma porta Thunderbolt próximo às entradas USB, algo característico de um laptop da Apple – como o MacBook Pro com tela Retina. E é difícil verificar se este é mesmo um produto real, ou apenas um conceito feito por terceiros.

O vídeo aparentemente foi criado pela Slinky.me, uma agência que diz já ter feito vários vídeos para o Google, a fim de anunciar produtos como busca, Google+ e… Chromebooks. Você pode vê-los aqui e aqui.

O estranho é que Victor Koch, CEO da Slinky.me, deixou um pedido público de desculpas em seu perfil do Google+, inclusive tagueando Sergey Brin. Ele diz:

Todos os nossos servidores foram atacados por hackers, e pedimos desculpas pelo fato de que muitos projetos foram mostrados antes da hora!

Nós identificamos uma informação importante. Um dos ataques foram realizados a partir da China. A investigação continua.

O site da Slinky.me também exibe o aviso de que o site foi hackeado. Mas isso é só para tentar sugerir que o “vazamento” é real? Bem, há algumas coisas a se desconfiar aqui, mas se for um fake, pelo menos parece muito bem feito. [YouTube via Android Authority via The Verge]