O evento WWDC, da Apple, deve dedicar bastante espaço ao iOS 8 quando acontecer em junho. E o Financial Times diz que a Apple planeja lançar com ele uma nova plataforma de software para casas inteligentes. Essa funcionalidade permitiria que dispositivos iOS controlem de tudo em sua casa – iluminação, sistema de segurança e mais.

E para ajudá-la a competir com outros sistemas domésticos inteligentes já existentes no mercado, o sistema da Apple iria supostamente funcionar com produtos de outras empresas, desde que eles se encaixem em requisitos específicos de qualidade, segurança e privacidade. É uma investida na smart home, e o Google também está de olho nisso.

Os detalhes específicos de como o sistema iria funcionar ainda não são conhecidos, mas isto poderia funcionar através da tecnologia proprietária iBeacon, que transmite dados através de Bluetooth Low Energy. Ela é compatível com iPhone 4S/5/5c/5S, iPad 3/4/Air, iPad Mini 1/2 e iPod touch 5th gen, e também com dispositivos rodando Android 4.3 ou superior (e com suporte a Bluetooth 4.0).

Por que não usar o NFC? Uma das aplicações citadas pelo FT seria ligar as luzes quando o usuário estiver chegando em casa. Com o iBeacon/Bluetooth, isso é possível sem tirar o smartphone do bolso. Com NFC, seria preciso aproximar o aparelho de uma tag. A desvantagem é que sistemas iBeacon não funcionam sem energia (mas existem tags NFC passivas, que não requerem bateria).

SAIBA MAIS: A casa do futuro com redes, fechaduras e padrões ativados com comandos de voz

Não faltam produtos de automação residencial no mercado, especialmente nos EUA e Europa, e a maioria já funciona com seus próprios apps de smartphone. Mas isso obriga você a usar um app diferente, e interface do usuário diferente, para cada aspecto da casa: iluminação, ar-condicionado, fechadura – um problema de fragmentação que, aparentemente, a Apple quer resolver.

Ao reunir tudo isso em um só app, poderia ser menos frustrante automatizar e programar dispositivos em sua casa. Mas resta ver se a Apple vai integrar com sucesso os recursos de várias fabricantes diferentes. [Financial Times via Business Insider]