O cenário parece mais propício do que nunca para a parceria: de um lado, a Nokia continua perdendo mercado no mundo dos smartphones e assiste o crescimento desenfreado do Android; já a Microsoft criou um sistema coeso e forte, mas que ainda encontra dificuldades em penetrar no mercado americano e europeu por conta da presença forte do iPhone, do Android e dos próprios smartphones da Nokia. Além disso, o novo CEO da Nokia é Stephen Elop, que curiosamente deixou a Microsoft para se aventurar na gélida Finlândia.

As especulações jogaram as ações da Nokia para o alto e o Engadget diz que uma importante fonte anônima teria confirmado que uma grande mudança aconteceria no evento do dia 11. Para completar, a Nokia eliminaria um dos seus sistemas atuais – ou o antigo S60, ou o embrionário MeeGo. Já Mary Jo Foley, respeitada jornalista do ZDNet, diz não apostar nem um centavo no anúncio.

Temos então uma semana de expectativa para saber se a Nokia está disposta a fazer uma mudança tão drástica em seu formato – saindo de fabricante de hardware e software para fabricante de hardware que “aluga” o aparelho para outros sistemas. Como bem lembra o Engadget, o fato de lidar bem com os dois lados da moeda garantiu a grandeza da Nokia. Mas os tempos mudaram. E você, caro leitor? Compraria um aparelho com o hardware da Nokia e um sistema operacional novo e revitalizado, pronto para os dias de hoje? [Engadget]