Pode ser que a Apple não lance apenas um novo iPhone X em setembro. A empresa, aparentemente, planeja lançar três aparelhos: uma atualização do iPhone X que conhecemos; um phablet que pega emprestado elementos de design do iPhone X e que deve ser chamado iPhone X Plus; e um mais barato sem os recursos premium do iPhone X, de acordo com a Bloomberg.

O que aconteceu com meu iPhone X após dois meses de uso

Rumores sobre novos aparelhos da Apple já estão rolando há algum tempo — basicamente, desde o lançamento do iPhone X. Durante o fim de semana, no entanto, uma suposta foto de iPhone com tela de 6,5 polegadas vazou (este seria supostamente o iPhone X Plus). Compare isso com um iPad Mini — um tablet — com apenas 1,4 polegada a mais.

Mark Gurman e Debby Wu, ambos da Bloomberg, reportaram sobre este vazamento de um aparelho com o jeitão do iPhone X com “uma tela de 6,5 polegadas” que está sendo trabalhado “especialmente para usuários corporativos”. Apesar da tela maior, o corpo do dispositivo deve ter o mesmo tamanho do iPhone 8 Plus e ainda deve suportar dois chips SIM-card em unidades vendidas em determinadas regiões. E como o iPhone 8 Plus deve ter uma versão dourada.

Havia rumores de um telefone intermediário que se encaixaria entre o iPhone X Plus de 6,5 polegadas e o iPhone X de 5,8 polegadas. No entanto, segundo uma nova matéria da Bloomberg, uma versão do iPhone X como é hoje deve ser atualizada e ele será o segundo maior entre os aparelhos a serem lançados.

A menor versão, no entanto, é nova: parece um híbrido do iPhone 8 e iPhone X, com vidro na traseira, bordas de alumínio (não de aço), uma tela LCD que ocupa toda tela (em vez de uma cara tela OLED que dever ser usada nos outros dois modelos maiores). Independente das poucas diferenças, parece bem provável que a Apple lance três iPhones durante o ano, todos inspirados no iPhone X.

Por ora, quem quiser comprar um iPhone que custa menos de US$ 1.000 deve optar por versões com o visual antigo, que estreou em 2014. Uma versão menor do iPhone X poderia mudar isso, tornando recursos premium como o FaceID mais acessíveis em 2018 — mesmo que isso signifique acabar com o TouchID.

[BloombergMac Rumors]

Foto do topo por Alex Cranz/Gizmodo