O Google I/O é quase um feriado anual para fãs do Android e amantes das invenções de Mountain View. São dois dias inteiros do Google mostrando o que preparou para o futuro – ou ao menos para os próximos 12 meses – e tudo começa amanhã.

Considerando que o Google conseguiu de alguma forma entrar em todas as partes da nossa vida, seja fornecendo internet em alta velocidade ou até mesmo no smartphone que fica no nosso bolso, além da forma como consumimos conteúdo na internet e dirigimos carros, não podemos de forma alguma prever tudo o que pode ser anunciado.

Mas juntamos todos os rumores e anúncios publicados pelo Gizmodo e por outros sites confiáveis e colocamos juntos neste artigo para você saber mais ou menos o que esperar dos próximos dias. Muitas dessas coisas são rumores, então é bom ler tudo com um pouco de cautela – tem muita especulação.

Android M (Muffin, Marshmallow, M&M, Macadamia Nut Cookie?)

Foi no I/O do ano passado que conhecemos a ambiciosa reimaginação do Android com o seu Material Design. Provavelmente não veremos nada tão empolgante esse ano, e é capaz que 2015 seja o ano das atualizações de estabilidade e segurança para o Android.

De acordo com rumores, o Google pode estar tentando tirar um pouco do controle de segurança da mão dos desenvolvedores e, assim, fazer com que as permissões fiquem por conta dos usuários. Neste caso, você decidiria se daria a um app permissão para acessar sua câmera ou localização, e não apenas aceitar que o app vai acessar todas essas coisas. Isso pode limitar funcionalidades? Com certeza, mas é uma importante escolha que deveria estar disponível para todos. Isso significa personalizar apps, segurança e privacidade da forma que você quiser, e é mais ou menos esse o conceito do Android desde que ele foi criado.

O Google também pode seguir os passos da Apple e da Samsung e adicionar suporte oficial a sensores de digitais no Android, permitindo que apps se aproveitem ao máximo da autenticação biométrica.

O Google também parece meio obcecado em tornar a internet e a tecnologia o mais apropriado possível para crianças – mesmo que o trabalho até agora não seja o melhor. Com óbvios benefícios de doutrinação precoce (e ainda coletando alguns dados valiosos), talvez vejamos uma versão para crianças do Android se este email do Google Play (preste atenção na data) for verdadeiro, o que provavelmente limitaria a acessibilidade de apps para certas classificações dentro da Google Play Store.

E, por fim, talvez o Google fale um pouco sobre o que está fazendo para melhorar a duração da bateria do Android – especificamente, o que faz para que ela não seja mais tão ruim. O Android Police diz que uso de RAM e da bateria são os grandes focos do M, melhorando como os apps consomem energia quando seu smartphone não está sendo usado.

Vamos falar também sobre o nome. Tudo o que sabemos até agora é que será o Android M – a ordem alfabética é uma tradição do Android que acaba resultando em um doce ou sobremesa. O atual nome de testes é MNC, que poderia ser Macadamia Nut Cookie, mas isso provavelmente vai mudar até a próxima geração de smartphones Nexus do Google ficar pronta no fim do ano. Eu apostaria em Muffin.

Google Wallet

Mais pagamentos móveis

No I/O, o Google pode voltar sua atenção para pagamentos móveis – provavelmente agora com o nome Android Pay – em uma tentativa de atingir o mundo pós-cartão de crédito. O Google comprou o Softcard, um app de pagamento móvel que já foi popular um dia, e devorou a tecnologia por trás dele. Parte dessa tecnologia pode aparecer na nova plataforma Android Pay, que supostamente permitirá que apps de terceiros usem recursos de pagamento com um toque e também terá uma arquitetura toque-para-pagar mais robusta, parecido com o Apple Pay.

O Android Pay está sendo desenvolvido em uma nova camada de API, de acordo com o chefão do Android Sundar Pichai durante a Mobile World Congress em março passado. Ele também disse que o Google Wallet continuará existindo junto com as novas plataformas de pagamento. Exatamente como esses dois vão funcionar juntos? Bem, o Google deixou um espaço para nos surpreender.

A grande separação e o Google+

O Google+ perdeu destaque, mas isso não significa que todos os seus melhores recursos precisam morrer junto. Na verdade, é quase certo que o Google vai lançar um novo app de compartilhamento de imagens criado a partir das cinzas do Google+, e que provavelmente não exigirá uso de nenhuma conta de mídia social. E assim como o Picasa virou o Google+, que por sua vez virou o Google Fotos, e que esperamos que fique dessa forma.

Em fevereiro, Sundar Pichai disse que o Google estava “trabalhando ativamente” nas aplicações de fotos dentro do Google+ e que veríamos o Hangouts, Fotos e o Google+ como três entidades separadas. Agora parece quase certo que veremos mais sobre esse app. O Android Police já deu uma olhada em como ele será.

Google Fotos

O app substituirá o atalho de Fotos no Android e terá todas as amenidades do recurso do Google+ com um design atualizado, especialmente na parte do editor. Deve ser uma grande melhoria em relação às experiências padrões de edição e armazenamento de imagens no Android (e talvez também na web).

Android em todos os lugares

Surpresa: o Android continua querendo ser o software por trás de todos os seus dispositivos. Vamos relembrar:

Android Wear: o Google atualizou o Wear com muitas novidades em software no mês passado, e há alguns dias o sistema ganhou um suporte bem bacana ao Maps a partir do seu pulso. Então talvez não vejamos muitas coisas específicas para o Wear. O que esperamos conhecer agora é um suporte do iOS aos dispositivos Android Wear.

Android Auto: O Google lançou o Android Auto, um sistema operacional baseado em smartphones para carros, no último I/O, e agora começamos a ver os primeiros veículos com o software. Diz um rumor que o Google está tentando desvincular o carro do smartphone e assim carros podem sair de fábrica já rodando uma versão do Android. Tenho certeza que ouviremos bastante sobre o futuro do Auto, mas novos recursos sobre a tentativa do Google de conquistar os carros ainda são secretos.

Android TV: Com a Apple supostamente preparando uma atualização para a Apple TV, é difícil imaginar que o Google vai ficar quieto em relação ao Android TV, seu sistema operacional que tenta deixar nossas TVs mais inteligentes. Talvez nos apresentem novas informações e quem sabe algo sobre rumores de que o Android TV pode integrar TV ao vivo ao seu serviço, mas, até agora, não ouvimos muita coisa.

Android VR

Android VR: Mas é claro que o Android também vai entrar na brincadeira da realidade virtual. Em março, o Wall Street Journal disse que o Google tinha uma pequena equipe trabalhando para levar o Android para a realidade virtual. Evidências de que o Android VR vem aí são suportadas pelo fato de que há um evento marcado para sexta-feira chamado “Projetando para Realidade Virtual”, que será comandado pela equipe de VR do Google. Provavelmente eles falarão sobre o futuro do Cardboard, o experimento bem-sucedido do Google de VR lançado no ano passado, e é provável que ele deixe a fase de papelão para algo mais robusto.

Android Brillo: Quando eu disse “Android em todos os lugares”, eu realmente falava sério. Ele estará em smartphones, carros, dispositivos de realidade virtual, smartwatches e sim, até em geladeiras, fechaduras, lâmpadas e termostatos. Há meses o Google vem trabalhando em um sistema operacional para dispositivos de baixa potência, como os que encontramos em casas inteligentes. Estamos falando de carinhas com 64MB ou até mesmo 32MB de RAM. Tudo o que puder fazer as casas inteligentes mais inteligentes é bem vindo. O projeto começou no Chromium, mas foi movido par ao Android, então esperamos ver ele recebendo a marca Android.

Para o futuro distante

E em relação a projetos mais ambiciosos do Google? Como balões que levam internet para lugares distantes, smartphones que são verdadeiros camaleões, carros autônomos e o projeto da empresa de se tornar uma operadora?

Provavelmente não vamos ouvir muita coisa sobre o Project Ara considerando que eles tiveram uma conferência própria em janeiro. O Google Loon pode ser algo a ser abordado considerando que o projeto parece estar pronto para ir ao ar. E, ao menos, podemos ouvir alguns dados, estatísticas e planejamento futuro para alguns – e quem sabe todos – esses projetos.

ku-bigpic

Novos hardwares

Há quem diga que veremos uma nova geração de hardware do Chromecast, o que seria a primeira atualização do dongle desde o seu anúncio em 2013. Uma breve menção em outubro passado diz que o Chromecast se aproveitaria melhor de uma tela grande emparelhada com uma pequena. Alguns eventos também vão abordar desenvolvimento para o Chromecast neste I/O.

Não esperaria ver nenhum novo dispositivo Nexus. Mesmo que rumores já vazem algumas possibilidades de dispositivos, esses smartphones costumam ser apresentados sem muito alarde lá para o fim de outubro. No entanto, o novo Google Glass pode estar a caminho. Após a promessa do Google de tentar novamente com o gadget, o Wall Stret Journal revelou que o novo Glass seria projetado pela empresa italiana Luxottica e estaria disponível “em breve”. Pouco é conhecido sobre o dispositivo, mas basicamente qualquer coisa que ele faça pode ser considerado uma evolução.

Um novo Moto 360? Possivelmente. Um novo relógio Android Wear da Tag Heuer de US$ 1.400? Por que não?

Chrome

O navegador do Google costuma ganhar destaque nas conferências do Google. Aparentemente, o foco atual do Chrome está no mobile, então é provável que o Google anuncie novidades do seu navegador para smartphones. Além disso, não é de hoje que o Chrome OS caminha para se unir ao Android. É pouco provável que eles se tornem apenas um sistema operacional agora, mas eu não descartaria ouvir sobre uma integração maior entre os dois.

Fim das senhas? Concorrente ao Twitch?

Não é de hoje que o Google quer acabar com as senhas. Recentemente, algumas medidas tomadas pelo Google parecem caminhar para esse futuro sem senhas. Algumas coisas são meio bestas, mas até fazem sentido: recentemente, a página de login do Gmail foi dividida em duas partes: primeiro você coloca seu nome de usuário, e, na etapa seguinte, entra com a senha. Talvez seja um indício de que vem aí um novo sistema que não exige que você necessariamente precise digitar o password – mas o Google ainda deixaria a opção de entrar com uma palavra secreta. Algo parecido é encontrado no Android Lollipop, e pode ser que não seja por acaso. O próprio Google reconhece que busca novas formas de autenticação além das senhas.

E, depois de fracassar na sua tentativa de comprar o Twitch – que foi parar nas mãos da Amazon – o Google passou a investir mais nos poderes de streaming ao vivo do YouTube. Recentemente, o YouTube ganhou a opção de transmissão ao vivo em 60fps, que é ideal para quem quer mostrar para o mundo o que está jogando. Será que vem aí um serviço mais robusto do YouTube para gamers transmitirem suas partidas pela internet?

Colaborou: Daniel Junqueira