A geração atual do Moto G foi lançada em setembro de 2014, ou seja, ele deve ser atualizado em breve – e parece que teremos pelo menos duas novas versões do smartphone.

Um vídeo vazado mostra o que parece ser o Moto G (2015), e as especificações são bem simples. Ele ganhou um processador mais rápido (Snapdragon 410), uma câmera traseira de 13 megapixels e uma câmera frontal de 5 MP para selfies mais nítidas. Ele também é compatível com redes 4G.

No entanto, ele ainda possui tela HD de cinco polegadas, 1 GB de RAM, e 8 GB de armazenamento interno (expansível por microSD). O modelo XT1453 roda Android 5.1.1.

Moto G de 3a geracao

Algumas fotos vazadas mostram que a frente do novo Moto G é bem semelhante à geração atual, mas a traseira agora é texturizada. Esses detalhes se encaixam com o que o usuário “MotoLeaks” disse há um mês no Reddit:

Desculpe desapontar vocês, mas o dispositivo vai ser muito semelhante à geração anterior e ainda terá 1 GB de RAM. A traseira do aparelho foi alterada para ter uma forma oval em torno da câmera, semelhante a celulares da LG, mas mais fino. Este será o novo visual para todos os smartphones Moto daqui para a frente.

Haverá um novo Android que custará em torno de US$ 300 e terá especificações muito melhores do que o Moto G. A ideia é fazer com que os usuários paguem US$ 100 a mais por esse outro aparelho.

Esse smartphone de US$ 300 seria uma versão parruda do Moto G? Em maio, a Flipkart – única loja online autorizada a vender smartphones Motorola na Índia – aparentemente vazou especificações de um novo Moto G, com processador Snapdragon 610, 2 GB de RAM, tela Full-HD de 5 polegadas e suporte a 4G.

Essa estratégia de priorizar smartphones mais caros faz sentido, especialmente depois que a Lenovo pagou US$ 2,91 bilhões para ser dona da Motorola. Enquanto esteve com o Google, a Motorola não parou de sangrar dinheiro: entre janeiro e setembro de 2014, foram quase meio bilhão de dólares em prejuízo (US$ 451 milhões, para ser mais exato).

Pode apostar que a Lenovo tentará reverter essa situação. No entanto, ela prometeu que a Motorola continuará “a focar em atualizações rápidas e no Android puro”, e pode ter um futuro brilhante – é só ver o bom histórico da linha ThinkPad, que pertencia à IBM até 2005. Só que os smartphones podem ficar um pouco mais caros.

Tivemos uma prévia disso este ano: o Moto E de segunda geração foi lançado por salgados 699 reais. (Hoje, ele pode ser encontrado por cerca de R$ 500.) Enquanto isso, o novo Moto G com 4G chegou ao país custando R$ 899. É melhor preparar o bolso, ou ficar mais de olho nos concorrentes. [9to5Google e Android Police]