Oficiais militares da Rússia divulgaram nesta semana posições conflitantes sobre a necessidade de evacuar áreas próximas a uma misteriosa explosão nuclear.

As ordens confusas ocorreram cinco dias depois de uma explosão em um local de testes militares. O acidente matou pelo menos sete pessoas e causou um pico nos níveis de radiação em uma cidade próxima. O Ministério da Defesa da Rússia disse inicialmente que um motor de foguete de propelente líquido explodiu e nenhuma emissão nociva foi liberada.

O New York Times relata que oficiais da inteligência dos EUA afirmaram acreditar que a explosão pode estar ligada a um protótipo de arma conhecido pela Otan como SSC-X-9 Skyfall. O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou em março de 2018 que o país estava desenvolvendo esse míssil de cruzeiro. Ele poderia levar uma arma nuclear a qualquer ponto do planeta, já que seria alimentado em parte por um reator nuclear. Putin também disse que o míssil eventualmente seria capaz de escapar dos sistemas de defesa antimísseis dos EUA.

“Não há outro cenário possível para isso. Todas as peças se encaixam”, disse Vipin Narang, especialista em armas nucleares e professor de política do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, à NBC News. Ele tem certeza de que a explosão teria que estar relacionada ao protótipo Skyfall. “É muito difícil imaginar que seja algo além disso.”

Na sexta-feira, a agência nuclear russa Rosatom finalmente admitiu que uma explosão em uma de suas instalações criou uma nuvem de radiação que se espalhou pela região.

Na terça-feira, a emissora de notícias russa 29.ru informou que vários moradores da cidade vizinha de Nyonoksa, na região de Arkhangelsk, na Rússia, disseram que oficiais militares os instruíram a deixar sua aldeia na quarta-feira entre 5h e 7h, horário local. Eles também disseram que, segundo os oficiais, haveria trens disponíveis para levá-los embora.

O site russo Interfax também noticiou: “Os moradores de Nyonoksa foram aconselhados a deixar a vila temporariamente devido às obras na região onde a explosão ocorreu.”

De acordo com a 29.ru, autoridades disseram aos moradores que eles deveriam evacuar a área para que os militares possam realizar algum tipo de trabalho no local de treinamento militar, e que a evacuação não teria relação com as misteriosas explosões.

Mas, ao longo do dia, as mensagens se tornaram conflitantes. Como informou a CBS News, o governador da região de Arkhangelsk, Igor Orlov, disse à Interfax que a evacuação era “um completo disparate”. Os canais de mídia social para moradores de Nyonoksa e da cidade vizinha de Severodvinsk deram mensagens confusas sobre evacuação.

Várias horas depois dos relatos iniciais sobre uma evacuação obrigatória, a Interfax e a 29.ru informaram que os planos militares haviam sido cancelados e que os moradores não precisavam mais deixar a área.

O que vai acontecer agora? Ninguém sabe.