Salim Ismail, CEO e fundador da Singularity University, deu uma palestra sobre empreendedorismo no Palco Principal da Campus Party na quinta-feira (31). Segundo ele, a geração anterior cometeu diversos erros e agora os jovens devem consertar o mundo.

A tecnologia está evoluindo muito rápido. Há alguns anos, nossos computadores possuíam o poder de processamento equivalente a um inseto. Atualmente, um rato e, segundo Salim, em breve teremos o processamento de um cérebro humano embutido em nossos computadores.

“O mundo está cada vez menos analógico. Nossa comunicação é essencialmente digital: A aparência de seu perfil de Facebook é mais importante do que a maneira de como você está vestido hoje”, disse Salim, citando uma pesquisa sobre comportamento.

Não se pode negar o avanço da tecnologia, que evolui e se expande exponencialmente. Com gráficos e exemplos, Ismail demonstrou o aumento de gadgets conectados à internet. De acordo com ele, em breve teremos 50 bilhões de aparelhos conectados à rede, um número impressionante, considerando que há pouco mais de 7 bilhões de pessoas no mundo.

Ismail também destacou a importância das Impressoras 3D – elas podem imprimir peças e aparelhos completos, sem encaixes, com engrenagens capazes de rodar em torno do próprio eixo sem problema algum. A versatilidade das impressões chega a espantar: além de próteses, sapatos e pequenos aparelhos, Salim estava usando um cinto feito com plástico de impressoras 3D. Segundo ele, a grande vantagem de poder imprimir uma peça é a libertação dos moldes, o que abaixaria o valor de produção de itens em geral. “Em impressoras 3D a complexidade é de graça: se você pode imaginar, a impressora vai cuspir o formato para você”, ressaltou, enquanto mostrava uma bicicleta composta por diversas camadas de plástico impressos.

osde8info/Flickr
osde8info/Flickr

Outro grande destaque da palestra foram as atividades feitas pela Singularity University. Esta é uma universidade que oferece cursos de 10 semanas para jovens empreendedores. Para quem está no Brasil e deseja saber mais, vale a pena dar um pulo no site da SU ou de sua parceira brasileira, a FIAP.

Além de mostrar a expansão da tecnologia nos últimos anos, Ismail falou sobre um assunto bem sério. Com o metabolismo acelerado do mundo, os problemas globais têm aumentado em escala exponencial. O dinheiro na economia anda limitado e o fracasso anda cercando muitos setores. Os governos devem muito dinheiro e temos uma necessidade para criação de trabalhos. “Nosso mundo não está preparando para esta rápida evolução. Todos os nossos sistemas, judiciais, educacionais, legais, políticos estão baseados em 200 anos atrás.” E ainda citou que “a democracia, como Winston Churchill dizia, é a pior forma de política pois demora muito para tomar a decisão, mesmo que ela seja geralmente correta”. O palestrante também afirmou que o crescimento é a melhor solução. “É agora que vocês entram. Usem tecnologia e paixão para resolver problemas, por favor, sejam loucos!”

Salim defende que este é o melhor momento para ser empreendedor pois tudo acontece muito rápido. Além disso, ele acredita no perfil empreendedor dos brasileiros e sugeriu que o próximo Steve Jobs possa sair daqui.

Ele mostrou diversos exemplos de genialidade para motivar jovens que assistiam às palestras: Além de Aaron Swartz, Salim citou o site MalariaSpot.org, onde Miguel Angel Luengo-Oroz, ex-aluno da Singularity University, criou um jogo para agilizar o diagnóstico de malária. Demora 20 minutos para que um técnico possa analisar uma lâmina de sangue, enquanto pessoas podem fazer isso no mundo todo, gratuitamente, em forma de jogo. De acordo com pesquisas, se a lâmina for analisada por 30 mil pessoas, a contagem de células infectadas tem 100% de precisão. Outro aluno da SU está aprimorando drones, pequenos veículos voadores não tripulados, que funcionam por rede sem fio para distribuir medicamentos e comida em vilas do Haiti.

Outras soluções precisam de um tempo para serem aplicáveis, como o valor do sequenciamento genético, cujo valor sofreu uma queda livre até, atualmente, custar aproximadamente mil dólares. Com este preço, muitas pessoas buscam problemas genéticos, como o caso de quem tem predisposição para problemas cardíacos: Após o sequenciamento, pessoas que têm maior chance de ter um ataque cardíaco utilizam pulseiras indicando medicamentos e doses apropriadas em caso de infarto.

O barateamento exponencial da tecnologia também está acelerando o seu próprio avanço. Há poucos anos, um helicóptero de brinquedo custava US$ 700. Hoje, é possível comprar um bom helicóptero de controle remoto por apenas 20 dólares. Isto permitiu que um pai preocupado montasse um pequeno “quadricóptero” para acompanhar seus filhos até a escola, evitando que ele tivesse que levá-los de carro todos os dias. Ou seja, com a tecnologia mais barata, mais pessoas podem fuçar. E fuçar leva ao avanço tecnológico.

Imagem de capa por campuspartybrasil/Flickr