Galaxy Note 10: novo topo de linha da Samsung chega ao Brasil com preços a partir de R$ 5.299

Não faz nem um mês que a Samsung apresentou nos EUA o Galaxy Note 10 e a empresa já anunciou detalhes da chegada do aparelho ao mercado brasileiro.

Sam Rutherford/Gizmodo

Não faz nem um mês direito que a Samsung apresentou o Galaxy Note 10 nos EUA e já temos novidades sobre o lançamento do aparelho e suas variações por aqui. A pré-venda deles começa em 3 de setembro, enquanto a venda no varejo começará em 20 de setembro.

O preço é aquilo que vocês, provavelmente, já esperavam. É bem alto. O Galaxy Note 10 tem preço sugerido de R$ 5.299, e o Galaxy Note 10+ custará R$ 5.999 (256 GB) e R$ 6.799 (512 GB de armazenamento)

Como é praxe, a Samsung oferecerá uns combos. Na compra do Note 10 ou do Note 10+ na pré-venda, o consumidor ganhará um relógio Galaxy Watch Active e um carregador duplo sem fio.

Qual é a do Galaxy Note 10?

Ainda que a linha traga a canetinha e tenha certo apelo para a produtividade, a Samsung resolveu inovar no visual do Note 10. Na frente, a tela ocupa todo o espaço com bordas mínimas, interrompida apenas por um pequeno buraco centralizado que abriga a câmera central. Na traseira, ele conta com um vidro Gorilla Glass 6, portanto mais resistente, que muda conforme a luz, criando um visual diferentão. Um dos destaques são os modelos Aura Glow, cuja cor do smartphone muda conforme a incidência de luz.

Na luz branca, o Galaxy Note 10 Aura Glow parece um CD. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Como já dissemos são dois aparelhos, o padrão Note 10 com 6,3 polegadas FullHD e o Note 10+ de 6,8 polegadas QuadHD+.

Este é o primeiro modelo de topo de linha da Samsung que não vem com entrada de fone de ouvido convencional, tem apenas uma porta USB-C — importante lembrar que a empresa já usou bastante a presença de entrada de fone de ouvido P2 para tirar um barato da Apple. O argumento é que a linha Note, por ter esse viés de produtividade, precisava de uma bateria maior e a tal entrada atrapalha o processo. Então, o Note 10 convencional tem 3.500 mAh, enquanto o Note 10+ vem com 4.300 mAh.

O conjunto de câmeras dos aparelhos é o que se espera de aparelhos topo de linha. O Note 10 e o Note 10+ têm em comum três sensores na traseira: ultra-wide de 16 MP, wide-angle de 12 megapixels e telephoto de 12 MP. O diferencial do Note 10+ é que ele conta com um sensor a mais VGA para captação de profundidade — isso deve melhorar bem imagens com fundo desfocado, inclusive vídeos. Na frente, os dois vêm com um sensor de 10 MP.

Além de um modo noturno melhorado, os aparelhos trazem como novidade o recurso Zoom-in Mic, que possibilita isolar e melhorar o som de algo em específico, e a funcionalidade Super Steady melhorada, permitindo a eliminação do tremor em excesso das mãos em vídeos convencionais e em hyperlapse.

Desempenho não deve ser um problema para os Note 10. Isso porque o processador de arquitetura de 7nm Exynos juntamente com a memória RAM dos aparelhos (8 GB no Note 10 e 12 GB no Note 10+) devem dar conta de rodar as aplicações mais pesadas que você pensar.

Somado a isso, o Note 10 vem com um sistema de resfriamento para controlar a temperatura do aparelho em caso de jogos que fritam o aparelho. Aliás, o dispositivo virá com o que a Samsung chamada de Play Galaxy Link, um app para desktop que possibilitará a transmissão de games do smartphone via Wi-Fi ou rede móvel.

A caneta S-Pen ganhou também novas funções bem espertas. Quem usou Palm se lembra da possibilidade que o aparelho tinha de converter o garrancho do usuário em texto digital. Isso agora também é uma realidade nos Note 10, com a possibilidade de passar notas feitas no aparelho diretamente para um documento do Word.

A boa notícia é que o sistema da Samsung parece reconhecer garranchos também. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

As novas Air Actions possibilitarão novos controles remotos da câmera usando a S-Pen. Então, será possível, por exemplo, alternar entre os modos de câmeras ou dar zoom em uma cena. A Samsung promete aumentar as capacidades do acessório ao liberar o Air Actions SDK, para que desenvolvedores pensem em novos gestos para os apps.

Por fim e não menos importante, vai ficar mais fácil usar o DeX, um recurso presente em outros aparelhos da marca em que o Galaxy Note funciona como um computador. No caso, a configuração passa a ser tão simples quanto conectar o telefone para carregar. Com isso, será possível navegar pelo smartphone usando uma interface gráfica parecida com a de um sistema operacional para desktop.

Configurar o DeX em um laptop ou desktop agora é tão fácil quanto conectar o telefone para carregar. Não há necessidade de um cabo separado ou um monitor externo. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Falando em integração, um novo aplicativo deve auxiliar na sincronização de dados do smartphone par ao Windows. Por meio do aplicativo Link To Windows, o usuário poderá sincronizar fotos, textos e outros dados do Note 10 para um computador com Windows 10

Especificações

Sair da versão mobile