Celular ou tablet? Onde a Samsung quer chegar com o Galaxy Note, um aparelho com tela de 5,3″ e canetinha que o transforma em bloco de notas digital? Bem, enquanto nós testamos o Galaxy Note e preparamos o review, a Samsung se prepara para lançá-lo no Brasil: ele apareceu na Fnac.com.br por R$1.999. Você está interessado?

Os aparelhos da Samsung estão aparecendo nas lojas sem aviso oficial da Samsung. Primeiro foi o Omnia W, primeiro Windows Phone da Samsung no Brasil, que foi lançado sem alarde semana passada. Agora, o Galaxy Note. Mas ele ainda está por vir: no site da Fnac, o Note é listado como “indisponível” – esperamos que ele chegue antes do Natal.

Eu estou com um Galaxy Note em mãos e, cara, ele é grande. Desligado, o tamanho chama bastante a atenção, como se tivessem feito um Galaxy S II maior que o normal. Mas é só ligar a tela que essa impressão passa: a tela grande cria uma imersão que poucos celulares conseguem ter. Desligado, o Note é estranho; ligado, ele some diante seus olhos. A resolução de 1280×800 é perfeita para o tamanho da tela, deixando texto e imagens bastante nítidos, e a tecnologia Super AMOLED cria cores bem vivas. Ele é grande, mas é bem fino (9,65mm) e relativamente leve (178g).

O Galaxy Note tem processador dual-core de 1,4GHz e em geral é bastante rápido, exceto por alguns engasgos na interface. A TouchWiz, aliás, funciona muito bem na tela maior, mas modifica sem necessidade alguns aspectos do Android padrão. E, a princípio, fazer anotações no Note com a canetinha é menos prático que usar um bloco de notas comum. Mas isso eu explico em detalhes no review completo, que sai em breve – assim como o Galaxy Note! Você pensa em comprar um? [Fnac; valeu, Felipe!]