No final de 2011, Samsung e Intel se uniram para desenvolver o sucessor do MeeGo, chamado Tizen, uma plataforma de código aberto com base em HTML5 que chegaria a vários dispositivos. O sistema começou tímido – basicamente escondido em uma câmera da Samsung – mas parece estar pronto para os holofotes.

O Samsung Z é um smartphone que roda Tizen, assim como os smartwatches Gear 2, Gear Fit e Galaxy Gear. Ele chegará à Rússia no terceiro trimestre, e “está previsto para se expandir a outros mercados”.

Trata-se de um aparelho com tela Super AMOLED de 4,8 polegadas e resolução HD, processador quad-core de 2,3 GHz (sem fabricante revelada), 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento interno com suporte a microSD, e bateria de 2.600 mAh. São 8,5 mm de espessura e 136 g.

Há uma câmera de 2.1MP na frente, e uma câmera de 8MP na parte traseira; abaixo dela, você encontra o flash e o sensor de batimento cardíaco – assim como no Galaxy S5. A traseira – nas cores preto e dourado (que parece marrom?) – possui textura que imita couro. Na frente, ele também possui um leitor de impressões digitais integrado ao botão Home para desbloquear o aparelho.

samsung z tizen 2

O Samsung Z roda Tizen 2.2.1 personalizado de tal forma que a interface é basicamente a mesma do Galaxy S5, com barra de notificações, widgets, atalhos para apps na parte inferior e até um campo de busca – mas que leva ao site russo Yandex, não ao Google. Afinal, esta é claramente mais uma investida da Samsung para tentar reduzir sua dependência do Android e Google.

MAIS: teste o sucessor do MeeGo no seu computador

O Tizen também foi complementado com o modo Ultra Power Saving Mode, encontrado no Galaxy S5, que desliga todas as funções desnecessárias, deixa a tela em preto e branco e só permite receber mensagens e ligações (e acessar redes sociais) para fazer a bateria durar mais.

E quanto aos apps? A Samsung promete uma Tizen Store no lançamento do Samsung Z, ainda sem mencionar grandes desenvolvedoras que estejam apoiando a plataforma.

Vale lembrar que este não é o primeiro smartphone com Tizen – a honra vai para o Samsung Tizen Z9005, voltado para desenvolvedores – mas é o primeiro a estar disponível no mercado para o público em geral.

E este não é o primeiro sistema operacional móvel da Samsung. O Bada, lançado em 2010, era visualmente um clone do Android/TouchWiz; chamá-lo de OS para smartphone era forçar a barra. Em dado momento, o Bada chegou a vender mais do que o Windows Phone 7.x, mas os poucos apps – e o sucesso do Android no low-end – acabaram condenando a plataforma. Ela “morreu” no ano passado, com a promessa de uma fusão ao Tizen. Será que agora vai?

O Samsung Z estará em exposição esta semana na Tizen Developer Conference, em San Francisco (EUA). Seu preço ainda não foi revelado. [Samsung via BBC]