Samurais, jardins e ruas cheias: fotografando o Japão de 1880

Esta fotografia, por incrível que pareça, foi tirada há mais de um século. O fotógrafo foi Adolfo Farsari. As imagens que ele capturou, de um mundo que não existe mais, são estonteantes.

Esta fotografia, por incrível que pareça, foi tirada há mais de um século. O fotógrafo foi Adolfo Farsari. As imagens que ele capturou, de um mundo que não existe mais, são estonteantes.

A história de Farsari é quase tão interessante quanto as fotografias que ele tirou. Um ex-alistado da União durante a Guerra Civil, Farsari se tornou o cronista oficial do ocidente para imagens das paisagens e vida cotidiana do Japão no fim do século 19.

Ele produziu imagens em sépia em seu estúdio, que depois eram coloridas à mão por artistas locais. Rudyard Kipling era um fã, assim como vários turistas ricos europeus e americanos. A proficiência técnica de Farsari é impressionante, dadas as limitações do período. Os resultados falam por si mesmos. [Quazen]

Sair da versão mobile