Nos pontos mais remotos e de difícil acesso do país, como aldeias e cidades interioranas do norte do país, o sistema de satélite chegou combinado às urnas eletrônicas com uso de bateria. O sistema de satélite, comprado da Via Telecom, estava em testes desde julho na Amazônia e poupou nada menos do que três horas na apuração do segundo turno. Para transmitir os dados ao TRE, os oficiais só precisavam plugar um laptop a um gadget específico e enviar as informações, simples assim. Resultado: um recorde.

O sistema já estava funcionando no primeiro turno, mas um problema de sobrecarga nos satélites diminuiu a velocidade da apuração. Já no segundo turno, com alguns ajustes e um acréscimo de 10,3 milhões de reais no investimento, o resultado foi obtido em impressionantes 3 horas. E se você acha que R$21 milhões é muito, saiba que o valor é uma mísera fatia do que é gasto nas eleições – no total, foram R$490 milhões. E, para efeito de comparação, R$40 milhões foram gastos apenas com a alimentação dos mesários. Um bom investimento em uma das áreas tecnológicas mais avançadas do Brasil. [TSE via IDGNow!]

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.