O Facebook — ou Meta, como Zuckerberg e companhia agora querem que chamemos — não é a única gigante da tecnologia tentando emplacar o metaverso. A Microsoft está lançando alguns novos recursos de colaboração virtual desenvolvidos para tornar o trabalho à distância menos pior. Bem, pelo menos na teoria.

Na versão metaverso do Microsoft Office, você terá um avatar 3D para representá-lo, o que promete ser infinitamente melhor do que manter sua câmera ligada durante todo o expediente.

O metaverso, segundo pessoas dizem alguns especialistas, é uma fusão dos mundos virtual e físico. Você ainda precisa trabalhar, mas usará usando um headset de realidade virtual e seu rosto será um avatar. Parece legal, certo?

Preocupado com a ideia de deixar o Facebook (ou Meta) dominar o metaverso, o fabricante do Office está entrando em ação. Em uma conferência anual da empresa, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, descreveu a ideia de mundos virtuais compartilhados como uma plataforma completamente nova, que permitirá às pessoas “incorporar a computação ao mundo real e incorporar o mundo real à computação — trazendo presença real para qualquer espaço digital”.

A Microsoft já investiu em trazer elementos de realidade aumentada e virtual para o mundo real, especificamente para o Office, com uma estrutura chamada Mesh. Agora, o Microsoft Teams, a plataforma de videoconferência da empresa, faz parte do Mesh.

O que isso significa para pessoas reais é que o Teams está ganhando novos avatares 2D e 3D personalizáveis, ​​que as pessoas podem usar em vez de uma foto de perfil tradicional ou um vídeo de seu rosto em videoconferências. Isso torna mais fácil para as pessoas trabalharem juntas pessoalmente ou virtualmente. Ou então, manter a câmera desligada para chamadas de vídeo — enquanto seu avatar 3D faz expressões faciais de alguém interessado na conversa.

A Microsoft também criou uma coleção de espaços virtuais que estarão disponíveis no Teams, permitindo que as pessoas escolham diferentes ambientes para realizar reuniões. No futuro, a Microsoft diz que os usuários do Teams serão capazes de personalizar os espaços de reunião com objetos como quadros brancos, outdoors e visores flutuantes.

A ideia de mergulhar mais fundo no trabalho virtual pode parecer um fardo depois de tantos trabalharem remotamente por tanto tempo. Mas a Microsoft aponta que o uso de avatares digitais pode realmente reduzir o cansaço da reunião, tornando mais fácil e mais aceitável para você virar fora de sua webcam durante as reuniões.

A Microsoft diz que os usuários que usam um headset de realidade virtual, como o Oculus Quest 2 (ou… Meta Quest 2?) poderão usar avatares 3D personalizados, que “receberão recursos de áudio para que, enquanto você fala, seu rosto se movimente” junto com “animações que trazem expressões adicionais aos avatares”, incluindo os movimentos das mãos. No futuro, a Microsoft diz que sensores mais aprimorados permitirão que o Mesh for Teams funcione melhor em todos os tipos de dispositivos (smartphones, laptops, etc.), enquanto seu avatar pode torná-lo mais fácil de reconhecer ao pular entre reuniões 2D tradicionais e reuniões 3D em espaços virtuais.

Assine a newsletter do Gizmodo

A ideia de estar ainda mais online é a última coisa que a maioria das pessoas deseja. Mas, com a pandemia forçando tanta gente a trabalhar remotamente — e muitos funcionários esperando continuar trabalhando em casa ou encontrar um equilíbrio entre o trabalho no escritório e remoto -0 pelo menos os recursos do metaverso da Microsoft têm algum sentido. Já a versão proposta por Zuckerberg… Quem é que sabe?