Hoje, dia 30 de junho, todos nós seremos presenteados com um segundo adicional. Como explica a NASA, isso é essencial para compensar a rotação do nosso planeta, que está desacelerando.

Ele será acrescentado às 21h (horário de Brasília). Mas é melhor se preparar para alguma instabilidade: segundos “bissextos” já causaram alguns estragos temporários na internet.

Um segundo a mais

A maioria de nós vivemos nossas vidas no mundo constante e inabalável do Tempo Universal Coordenado (UTC), no qual cada dia possui precisamente 86.400 segundos. Mas no mundo real, os dias não têm essa duração desde 1820.

Um cabo-de-guerra gravitacional entre a Terra e a Lua está fazendo a rotação do nosso planeta se desacelerar, tornando os dias um pouquinho maiores à medida que os anos passam. Hoje, a média diária é de aproximadamente 86.400,002 segundos de duração.

Essa discrepância é de grande interesse para os cientistas: os pesquisadores da Terra monitoram com precisão quanto tempo o nosso planeta leva para completar uma rotação – isto é, um dia – usando uma técnica chamada VLBI (Interferometria de Base Ampla).

Isso envolve basicamente reunir dados a partir de uma rede mundial de estações a cada dia. E os resultados nem sempre são previsíveis. A duração do dia, ao que parece, é influenciada por tudo: atividade tectônica, águas subterrâneas, até eventos El Niño.

Como a duração do dia medida pelo VLBI praticamente nunca atinge exatamente 86.400 segundos, os cientistas criaram um segundo padrão de tempo, o Tempo Universal 1, baseado na rotação exata da Terra.

Quando o UT1 e o UTC divergem muito, é adicionado um segundo bissexto para manter as duas escalas de tempo com diferença menor que 0,9 segundo. É por isso que, quando nos aproximarmos da meia-noite desta terça-feira no fuso horário UTC, o relógio vai marcar 23:59:60 antes de virar 00:00:00 em 1º de julho.

Possíveis problemas

Praticamente todo sistema tecnológico atual depende do horário informado por um relógio atômico. Isso inclui servidores web, sites de compras, redes de bolsa de valores, sistemas GPS, entre outros.

Todos eles assumem que cada minuto tem 60 segundos; no entanto, nem todos sabem lidar com um segundo a mais: eles veem duas vezes o mesmo horário.

Antes, era mais fácil se preparar: entre 1972 e 1999, todo ano tinha um segundo adicional. Mas, desde a virada do milênio, tivemos apenas quatro segundos adicionais, distribuídos de forma meio aleatória (2005, 2008, 2012 e agora).

Da última vez, em 2012, o segundo extra criou um pequeno caos, fazendo alguns sites saírem do ar durante horas – incluindo Reddit, Foursquare, LinkedIn e outros. E isso foi em um final de semana!

Como nota a Bloomberg, este é o primeiro segundo bissexto que cai em dia de semana num momento em que os mercados financeiros são altamente digitais – e uma falha pode custar milhões.

O momento da verdade é exatamente quando abrem as bolsas de valores na Ásia. Por isso, os EUA vão encerrar as atividades um pouco antes do normal, enquanto as bolsas de Sydney e Tóquio vão recalibrar os relógios com antecedência.

Meia noite

Como lidar com um segundo adicional

Existem três formas de adicionar um segundo em um programa:

  • você pode parar o relógio por um segundo;
  • você pode fazer o relógio voltar um segundo no tempo;
  • você pode subdividir o segundo adicional em diversas frações e espalhá-lo no tempo.

Essa última tática foi usada com sucesso pelo Google em 2012, que não foi afetado pelo segundo bissexto. Na época, eles explicaram como isso funciona:

A solução que criamos acabou sendo chamada de “leap smear”. Nós modificamos nossos servidores internos de NTP [Network Time Protocol, que corrige a hora no computador consultando um relógio atômico] para gradualmente acrescentar alguns milissegundos a cada atualização, variando em um período de tempo antes que o segundo adicional de fato ocorra.

Isto significa que, quando chegou a hora de adicionar um segundo adicional à meia-noite, nossos relógios já haviam levado isso em conta, avançando no tempo durante o dia. Todos os nossos servidores então puderam continuar normalmente…

A Amazon vai usar os “leap smears” para evitar quedas nos serviços que dependem de seus servidores, como Netflix, Dropbox, Foursquare, entre outros. Enquanto isso, algumas bolsas de valores vão picotar o segundo bissexto e espalhá-lo ao longo de duas horas.

Todo mundo está se preparando para o segundo adicional, então ele não deve causar muitos problemas. Mas se você não conseguir acessar algum site ou serviço a partir das 21h, já sabe o motivo.

[NASABloombergVocativ]

Fotos por Krissy Venosdale e Jay Peg/Flickr. Colaborou: Maddie Stone.