Seis pessoas estão trancadas num domo da NASA treinando para missões em Marte

Na última sexta-feira, a NASA trancou seis pessoas dentro de um domo para praticar missões a Marte. Eles ficarão no local por um ano.

Viver em Marte pode parecer emocionante, mas na realidade significa ficar boa parte do tempo enjaulado em uma pequena bolha com alguns outros humanos. E isso pode não terminar muito bem. Então, para praticar, a NASA está colocando algumas pessoas em domos e as isolando por um ano.

O experimento mais recente conta com seis voluntários: um astrobiólogo, uma física, um piloto, um arquiteto, uma jornalista e uma cientista do solo. Eles entraram neste adorável domo de 11 m x 6 m, localizado próximo a um vulcão inativo no Havaí.

Eles permanecerão na redoma por um ano, comendo queijo em pó, cheirando o odor corporal uns dos outros e lentamente abandonando qualquer senso de espaço pessoal — é o Big Brother científico. De fato, eles serão acompanhados por câmeras e até por monitores de movimento corporal. Se tivermos sorte, eles vão sair sem nenhum arranhão e talvez até amigos.


Os seis membros da equipe: o arquiteto Tristan Bassingthwaighte, a jornalista Sheyna Gifford e a física Christiane Heinicke na fileira superior; e a cientista do solo Carmel Johnston, o astrobiólogo Cyprien Verseux e o piloto Andrzej Stewart na fileira inferior

Além dos aspectos científicos do projeto, a NASA quer estudar também o elemento humano em isolamento, com os eventuais problemas que devem surgir ao se dividir uma moradia, ainda mais uma tão pequena. “Acho que uma das lições é a que não podemos prever conflitos interpessoais. Eles vão acontecer durante missões de longa duração, até mesmo com as melhores pessoas”, diz Kim Binsted, pesquisadora da NASA à BBC.

Existe uma boa razão para ver esta experiência de forma mais otimista: da última vez que a NASA tentou este experimento, todo mundo pareceu se dar muito bem, e não houve nenhuma tentativa de assassinato ou crises nervosas. E não vamos esquecer o projeto Mars 500, que em grupos de seis pessoas foram presas em tubos de metal por 18 meses. O confinamento pode ser desconfortável e neste caso nem envolve R$ 1,5 milhão, mas quando o objetivo é a dominação intergaláctica, humanos parecem aguentar o tranco. [BBC e University of Hawaii]

Fotos por University of Hawaii at Manoa

Sair da versão mobile