Agora que sua cabeça não pesa mais 200 quilos e você consegue se reconhecer no espelho, é hora de olhar para 2012. Para alguns, isso significa parar de comer Hot Pocket ou fumar Marlboro vermelho — mas que tal um início bom também na parte tecnológica da vida?

Faça um backup de seu computador (regularmente!)

Essa é indefensável! Não importa como você vai fazer. Compre um HD externo, um serviço de nuvem automatizado como o Mozy, ou queime um monte de DVDs se você for do tipo nostálgico. Mas coloque tudo que você quer ver de novo caso aconteça um apocalipse dos HDs, e guarde em algum lugar. Um lugar que não seja seu computador.

Mas essa segurança externa não é nada se você não faz um backup desde o último título nacional do Palmeiras. Faça seu backup regularmente — crie uma agenda mensal, semanal ou diária.

Desembarace os malditos cabos

Olhe para trás de sua TV ou de seu computador. Isso é ridículo, ninguém quer ver isso! Lembre-se daquele momento em que você está tentando mover seu decodificador e precisa entrar numa selva emaranhada com cabos HDMI e de força. Façamos de 2012 um ano sem gadgets como ninhos de rato: desktops, home theaters e seja lá o que mais você usa, sem nós e bagunça de fios. Aquele pequeno nó no seu carregador do notebook? Em 30 segundos você resolve isso.

Pare de gastar tanta bateria

Baterias, assim como a vida, são finitas, e ficam piores com o tempo. Então seja bondoso com sua amiga recarregável, e use a bateria de forma mais inteligente. Se você não estiver em um rede Wi-Fi, desligue o Wi-Fi de seu celular. Você precisa mesmo do Bluetooth ligado? Provavelmente não. Sua tela do computador precisa ser tão brilhante assim? Acho que não. Trate seu celular, notebook ou tablet com respeito e ele o agradecerá com mais horas de companhia de LCD.

Pare de comprar aplicativos idiotas que você não precisa

Flashlight Deluxe, Shopping Cart Finder, Yogurt Guide 4, a versão gratuita de todos os jogos que você vê por aí. Quando a maioria dos apps custa entre zero e um dólar, fica fácil fazer compras de impulso — e entupir seu celular com um monte de besteira que você nunca usará. Quantas vezes eu usei aquele aplicativo de conversão de moeda? Nenhuma. Nenhuma mesmo. Faça algo como uma busca espiritual, passeie pelos menus com mais calma em busca das pepitas de ouro, e escape do olho gordo na sua loja de aplicativos.

Dê uma geral na privacidade do Facebook

As configurações de privacidade do Facebook, assim como a vida, têm um histórico de ser bem bizantinas e malucas a ponto de simplesmente desistirmos delas. As configurações atuais não são perfeitas, mas elas são provavelmente bem melhores do que a última vez que você deu uma olhada. Então dê um pulo lá, veja se seu perfil realmente não está público e talvez dê uma bloqueada naqueles colegas de trabalho que você nem lembra o rosto.

Seja paciente com seus pais

Não é culpa da sua mãe que ela ainda tenha um e-mail do Zipmail. É culpa sua, já que você não a ajudou a fazer uma no Gmail.