Quando uma manchete diz "Tecnologia da computação traz de volta à vida fósseis de aranhas de 300 milhões de anos de idade", é hora de correr para as colinas e fazer grandes estoques de comida enlatada, combustível e armas. Muitas armas.

Felizmente, não estaremos lutando contra aranhas zumbis gigantes por enquanto, apesar do sensacionalismo do Daily Mail. Os cientistas do Departamento de Ciência Terrestre e Engenharia do Imperial College London conseguiram reconstruir uma Cryptomartus Hindi e uma Eophrynus Prestivicii usando tomografia computadorizada. Apesar de serem terrivelmente assustadoras, são apenas modelos 3D feitos a partir de 3.000 fotografias de raio-x.

Nota aos cientistas: por favor não revivam nenhuma criatura prehistórica gigante sugadora de sangue e fazedora de teias. Não revivam criatura alguma, aliás. Grato. []