Os serviços de streaming de vídeo estão investindo cada vez mais em conteúdo próprio e exclusivo. Ao mesmo tempo, estúdios como a Disney vão investir em suas próprias plataformas. Com isso, teremos muitas opções, mas cada uma com seus próprios filmes e séries. E as pessoas estão recorrendo a uma solução antiga para contornar isso: a pirataria.

• Globoplay terá mudanças para concorrer com a Netflix, com conteúdo próprio e séries gringas
• Record entra na guerra do streaming no Brasil com a plataforma PlayPlus

A empresa Sandvine, que trabalha com equipamentos de rede, publicou um relatório em seu blog ontem. Uma das descobertas mais interessantes é uma alta no uso do torrent desde 2015 de quase 10%. Antes disso, entre 2011 e 2015, o uso de serviços do tipo nos EUA havia caído consideravelmente, de 52% para apenas 27% do tráfego de upload em conexões fixas.

Cam Cullen, vice-presidente de marketing global da empresa, coloca os títulos exclusivos como o principal motivo da alta. “Para ter acesso a todos esses serviços, fica muito caro para o consumidor, então eles assinam um ou dois e pirateiam o resto.”

Ele ainda lista outros fatores, como as séries que são lançadas exclusivamente no mercado norte-americano, e outras que não são distribuídas ao mesmo tempo em todo o mundo — sempre tem quem não espere e baixe Game of Thrones assim que ela sai em algum lugar do mundo.

Como a exclusividade parece uma tendência cada vez mais forte, é possível que o torrent continue sua trajetória de alta nos próximos anos. Uma alternativa seria assinar um serviço por vez, assistir a tudo que ele tem de interessante em seu catálogo, cancelar e partir para outros — mas, convenhamos, os usuários sempre escolhem o que é mais fácil e barato para eles.

[Sandvine via Polygon]

Imagem: freestocks.org/Pexels