Ter o notebook roubado ou perdê-lo é a certeza de dor de cabeça. Além do prejuízo financeiro, vários “se…” ficam martelando o cérebro. E se meus dados forem acessados? E se o ladrão vir minhas fotos? E se tudo isso fosse evitável com uma combinação de hardware e software?

A mobilidade é linda, mas traz alguns contras. É mais fácil perder ou ter roubado um equipamento que você leva para todo canto, e números comprovam isso: só nos EUA, 12 mil notebooks são perdidos ou roubados em aeroportos por semana.

Para amenizar as consequências, a Intel desenvolveu há alguns anos a Tecnologia Antirroubo Intel, uma dobradinha entre hardware e software que evita o pior caso você fique sem o seu equipamento.

Funciona assim:

* Você configura o Ultrabook para realizar verificações regulares via Internet (uma espécie de “check-in” esporádico), ou usa a solução remediadora, ou seja, dispara um comando de travamento, via Internet, depois que seu notebook for perdido ou roubado.

* Se a verificação falha ou o comando é enviado, o notebook trava seus dados. Não importa que a pessoa na posse dele formate ou remova o disco, ela não conseguirá acessá-lo de forma alguma, mantendo o equipamento inutilizado – e seus dados, a salvo.

* Dando sorte e recuperando o Ultrabook, basta inserir a senha para que tudo volte a ser como era antes. Simples assim.

A tecnologia embutida no hardware do Ultrabook, somada ao software da própria Intel ou de algum parceiro, garante essa tranquilidade.

Eu não me importaria (muito) com a perda material; seria um rombo no orçamento comprar outro Ultrabook, mas o que importa, mesmo, é o que está lá dentro: saber que ninguém terá acesso aos meus arquivos, às minhas informações. Dinheiro a gente ganha de novo, já outras coisas, como informações sensíveis do trabalho, fotos de momentos legais e toda a sua vida digital? Não é tão fácil.