O Wired analisou o “fenômeno” de gadgets quebrarem logo depois da garantia deles expirar. Uma conspiração? Não.

Existem dois componentes nesta análise. O primeiro é que os fabricantes calculam com extremo zelo quanto tempo devem dar de garantia para não terem que consertar uma porrada de produtos de graça. O segundo é que trata-se do seu cérebro que o faz lembrar daquela uma única vez que algo quebrou logo após ficar fora da garantia.

“De fato isto está conectado a duas coisas: arrependimento e memória”, diz Dan Ariely, autor de Predictably Irrational (Previsivelmente Irracional). “Um gadget que morre no dia seguinte ao do término da garantia o deixará muito mais irritado do que aquele que sobrevive até mesmo depois de você perder a vontade de usá-lo. E, anos mais tarde, você provavelmente se lembrará mais deste episódios também”.

[Wired]