Essa parece que saiu direto dos quadrinhos: cientistas bolaram um jeito de injetar nanopartículas portadoras de genes especiais em células-tronco, de modo que machucados se curem mais rápido. Eu já estaria aprontando a minha roupa de super-heroína se não fosse pelo fato do método ser potencialmente cancerígeno.

A ideia básica é usar nanopartículas para injetar nas células-tronco um gene que "encoraja o crescimento de novos vasos sanguíneos para manter o tecido vivo". Os resultados em ratos são encorajadores:

Quando as células modificadas foram injetadas em ratos que tiveram membros do corpo fraturados, o tecido que cresceu tinha até três vezes mais densidade de vasos sanguíneos do que os ratos que receberam células não modificadas. Quatro semanas depois, somente 20% dos ratos que receberam células modificadas perderam seus membros, contra 60% dos ratos que receberam células normais.

O problema com a injeção de células dessa forma é que os efeitos parecem diminuir com o tempo. Os cientistas então trabalhando em outros métodos, como o uso de um vírus para transportar as células, mas "o método viral tem seus riscos — os vírus podem se integrar ao genoma das células permanentemente, potencialmente causando câncer ou reações imunológicas". Provavelmente eu não vou estar brincando de Wolverine tão cedo, mas talvez eles consigam descobrir um bom jeito para as próximas gerações. [Discover]