O Silent Circle, um provedor de e-mail que oferece segurança ponta-a-ponta nas mensagens, anunciou que vai seguir o mesmo caminho do Lavabit, usado por Edward Snowden, e fechar as portas por estar preocupado com pressões externas.

No blog da empresa, o diretor técnico do Silent Circle, Jon Callas, explica que isso é resultado das mesmas pressões externas que levaram o Lavabit a desativar seu serviço – e a deixar muitos usuários na mão.

Ele também sugere que a natureza insegura de protocolos de e-mail também é um problema. No entanto, a medida é basicamente uma resposta preventiva para evitar problemas com as autoridades. O Silent Circle diz que não recebeu quaisquer “intimações, mandados, cartas de segurança, ou qualquer outra coisa”. Ainda.

Mas, conversando com o TechCrunch, o CEO da empresa Michael Janke admite que alguns de seus usuários provavelmente seriam um motivo para as autoridades investigarem o serviço em breve:

Há algumas pessoas muito importantes no Silent Circle – eu quero dizer pessoas que certamente seriam alvo [de espionagem] – assim como chefes de estado, grupos de direitos humanos, jornalistas, unidades de operações especiais de vários países. Queríamos ser proativos, porque sabíamos que o governo americano viria atrás de nós, devido à enorme quantidade de pessoas que usam nosso serviço…

Por sua vez, os sistemas de criptografia para telefonia, vídeo e texto da Silent Circle continuam funcionando, já que eles não precisam armazenar dados criptografados nos servidores da empresa. [Silent Circle via TechCrunch]