Após todo o estardalhaço criado pela HP nos últimos meses — todos eles com conotação negativa — a empresa decidiu aumentar o redemoinho: o conselho da empresa confirmou hoje que Léo Apotheker perdeu seu trono no cargo de CEO, dando espaço para a ex-Ebay e ex-conselheira da HP, Meg Whitman.

A série de mudanças da HP, que começaram antes mesmo de Apotheker, mas ganharam força nos últimos meses, não tende a parar. Como já dissemos por aqui, estamos bem céticos com a mudança: a HP deu carta branca para Apotheker remodelar a empresa ao seu modo — deixando o hardware e o consumidor de lado e focando na criação de uma nova empresa que não tem um pingo da HP que conhecemos, voltada às soluções de software corporativo e seguindo os passos da IBM. Agora, pouco tempo após ele fazer muito barulho ao eliminar a linha TouchPad e Pre, destroçar o que restou da Palm e gastar 10 bilhões para adquirir a Autonomy, uma empresa de software, o CEO é demitido. Temos uma nova referência para os termos “bode expiatório” ou “laranja”.

Os problemas da HP não são tão recentes quanto Apotheker. A saída de seus últimos dois CEOs foi conturbada, com acusações de estupro e situações constrangedoras. Mas o caso fica ainda mais curioso por seguir um caminho aparentemente óbvio para quem analisa o mercado. Caso do pessoal do Cringely, que escreveu, em fevereiro, que Apotheker cairia rapidamente, dando lugar a… Meg Whitman:

Então temos Meg Whitman, que a esta altura do campeonato saiu do conselho da HP para juntar todas as suas forças para se tornar governadora da Califórnia. Mas isso não aconteceu, e agora o que será que ela vai fazer? Você pode seguir o caminho mais fácil. Ela eventualmente voltará para mandar Apotheker para fora e tomar seu emprego.

No ano passado, o CEO da Oracle, Larry Ellison, não poupou palavras para criticar a escolha da HP. Apotheker era então CEO da SAP, concorrente da Oracle, e provavelmente isso deixou Ellison extremamente “sem palavras”, como ele mesmo disse, com o caso. Ao Wall Street Journal, ele disse que a HP tinha “várias opções internas, mas escolheu alguém que foi demitido recentemente por fazer um trabalho ruim na SAP”. E completou dizendo que os membros do conselho da HP tem partes pequenas da empresa, o que diminui a chance de perdas catastróficas. “Mas os funcionários, consumidores, parceiros e acionistas da HP irão sofrer. Essa loucura precisa parar”, concluiu. Aparentemente, a loucura continuará pelos próximos tempos. [All Things D]