A revista Wired está com um artigo fascinante sobre o sistema apocalíptico construído pelos soviéticos há 25 anos. Ele foi criado para destruir os EUA, não importasse o que acontecesse com a União Soviética — e ele funciona até hoje. Cuidado, americanos!

O objetivo do sistema… era garantir uma resposta automática dos soviéticos a um ataque nuclear dos EUA. Mesmo se os EUA debilitassem a União Soviética com um ataque surpresa, os soviéticos ainda conseguiriam revidar. Não faria qualquer diferença se os americanos explodissem o Kremlin, derrubassem o ministério da defesa, destruíssem o sistema de comunicações e matassem todo mundo que tivesse estrelas nos ombros. Sensores com base no solo detectariam o golpe devastador, e seria lançado um contra-ataque.

O nome técnico era Perimeter, mas alguns o chamavam de Mertvaya Ruka, ou Mão Morta. Ele foi construído há 25 anos e ainda permanece um segredo bastante protegido.

O que dá medo é que o Perimeter funciona ainda hoje. Pelo menos de acordo com Valery Yarynich, ex-coronel soviético, de 72 anos. Mas Yarynich saberia disso: ele trabalhou 30 anos nas Forças Estratégicas de Foguetes Soviéticos e na Equipe Geral Soviética para construí-lo.

Militares dos EUA nem gostariam de mencionar, mas com o fim da Guerra Fria e relações mais ou menos amigáveis com a Rússia, por que se arriscar em ter um sistema desses ativado? Eu não gosto da ideia de algo errado acontecendo em um sistema de 25 anos de idade com tecnologia da era soviética. Não quando ele poderia lançar um ataque nuclear capaz de varrer a humanidade do mapa. [Wired]