A tela inicial padrão do Android é boa. Usável, não empolgante. A SlideScreen, uma substituta, é uma mudança radical, que altera a forma como você usa o seu telefone. É uma mistura de Zune com MotoBlur e Sense da HTC. E já virou default no meu celular.

Em vez da grade de ícones e widgets que vemos em portáteis desde o Palm OS, o SlideScreen integra informações de várias fontes — Google Reader, Twitter, email, SMS, compromissos da agenda, ações — direto na sua tela inicial. É mais ou menos como o Blur, a skin Motorola focada em redes sociais vista no Cliq, só que elevada ao extremo. Cada uma dessas fontes de informações recebe uma cor e exibe novas informações à medida que elas chegam.

No centro disso tudo há o motivo do nome do app: um slider (ele próprio exibindo informações de data, hora, bateria, força do sinal e previsão do tempo) que mode ser movido para cima ou para baixo para revelar e destacar cada uma das outras seções em detalhes. Tocar no botão de menu te leva a uma lista tradicional de apps, com espaço para oito favoritos no topo. É bastante confuso para explicar, mas muito fácil de usar. Veja o vídeo abaixo para entender melhor.

Eu adoro o modo como o SlideScreen te liberta da tela inicial padrão. O botão Home não mais te leva a uma lista de aplicativos, mas sim a uma tela que exibe as informações que você quer e que estão dentro destes aplicativos. Um toque em qualquer update em particular, como um tweet ou email, te leva ao app correspondente (poderiam ser Twidroid e GMail, nesse caso), mas você pode só dar uma olhada na sua tela inicial para ter uma noção do que está acontecendo dentro do seu telefone.

Ele também é incrivelmente rápido. Mesmo no meu Milestone, que é rapidinho pra caramba, o aplicativo de ações tem uma tendência a engasgar um pouco na hora de abrir, mas o SlideScreen mostra ele na hora.

Mas ele não é perfeito. O SlideScreen não é muito personalizável, por exemplo. Eu adoraria adicionar ou trocar algumas seções de lugar (por enquanto só dá para removê-las). Gostaria também de adicionar Facebook/GTalk/MSN, ou colocar o meu email no topo em vez da parte de chamadas, mas não dá. Ah, e ele também não funciona com o Google Apps (só contas normais do GMail funcionam), então meu email do serviço não entra na brincadeira, o que é um problema sério. Felizmente a equipe do SlideScreen já disse que está trabalhando em uma correção para este problema. O leitor de Tweets incluso é ultra básico, e mostra só um trecho deles na tela incial (um trecho de um tweet? 140 caracteres é tanto assim?). Mas o lance é que o SlideScreen tem muito potencial, e é interessante de olhar, algo que eu não posso dizer do Android.

O SlideScreen não é apenas um dos mais bem acabados apps de Android que eu já vi, mas também é, apenas por existir, uma ótima prova do potencial do Android. Nem todo mundo vai gostar, mas é incrível ter a opção de transformar completamente uma das partes mais básicas do seu telefone. Nem em um milhão de anos você vai ver algo como o SlideScreen para o iPhone. Eu só espero que a Larva Labs continue trabalhando neste aplicativo para desenvolver todo o seu potencial.

O SlideScreen está disponível agora no Android Market em duas versões: uma Free, com um banner, ou uma Pro, por US$ 7. [SlideScreen, vídeo do MobileCrunch]