A Nokia pode estar sofrendo no ramo de smartphones e de celulares simples, mas em celulares de luxo ela comanda: sua marca Vertu detém 60% do mercado europeu de celulares de luxo. Os aparelhos são caríssimos mas estranhamente low-tech – tanto que a Nokia vai lançar seu primeiro Vertu com touchscreen, o Constellation T, este mês.

Os aparelhos da linha Vertu custam em média US$7.000 e são feitos de aço e titânio, com detalhes em pedras preciosas como rubi e safira. Os aparelhos também vêm com um serviço de “concierge”, gratuito no primeiro ano e depois US$3.000 por ano, no qual atendentes reais realizam tarefas para o dono do celular, como reservar mesas em restaurantes, planejar uma viagem e até coisas mais exóticas – com o serviço, a filha de um milionário pôde tocar o órgão da Catedral de Notre Dame.

Os aparelhos, no entanto, são muito simples – alguns celulares da Vertu nem têm câmeras! Hutch Hutchison, que trabalha com celulares de luxo, explica o motivo: “colocar uma câmera nele iria transformá-lo em um objeto utilitário, em vez de uma verdadeira obra de arte”. Francisco Jeronimo, da IDC, diz que os ricaços “não compram um celular, eles compram uma joia”.

Mas, ao contrário dos outros aparelhos da Vertu, o Constellation T tem especificações semelhantes a smartphones mais plebeus: tela AMOLED de 3,5 polegadas com resolução 640×360, câmera de 8 megapixels com flash LED duplo e lente Heptagon, e 32GB de espaço interno. O Constellation T deve rodar Symbian com forte personalização, assim como os outros smartphones de luxo da Vertu, e deve chegar em outubro. Prepare seu cartão de crédito platinum! [Bloomberg e Bluetooth via This Is My Next]