Não, a Nokia não fez nenhum smartphone com Android: é que a Nokia foi a empresa a vender mais smartphones no mundo no primeiro trimestre, mas foi o Android a plataforma que mais vendeu no período. Só que, enquanto a participação do Android aumentou de um ano pra cá – de 10% para 35% – a Nokia não para de cair, despencando de 39% para 24% no mesmo período. E o Windows Phone ainda não está aí para ajudar.

Estas são as estatísticas da Canalys para o primeiro trimestre de 2011. Segundo o mais recente relatório da consultoria, as cinco fabricantes que mais venderam smartphones no mundo foram, na ordem: Nokia, Apple, RIM, Samsung e HTC. Sim, a Nokia vendeu mais que a Apple – foram 24,2 milhões de unidades – mas sabemos que a Apple ganhou mais dinheiro vendendo menos, e ainda cresceu de um ano pra cá (de 16% para 19%). A RIM, fabricante do BlackBerry, perdeu espaço no mercado no mesmo período.

As surpresas do relatório estão na Samsung e na LG. A linha Optimus de smartphones da LG parece estar vendendo bem mundialmente, e colocou a empresa no sexto lugar em vendas, à frente da Motorola. E a Samsung vendeu quase 3,5 milhões de smartphones com Bada, sistema operacional feito pela própria Samsung. Pra efeito de comparação, o Windows Phone vendeu, entre todas as fabricantes, menos de 2,5 milhões de unidades no mundo todo, no mesmo período.

Ou seja, pelo visto a Nokia precisa do Windows Phone (para aumentar suas vendas de smartphones), e o Windows Phone precisa da Nokia também (para fazer a plataforma vingar). Só que as principais novidades para o Windows Phone – como multitarefa – devem chegar só no início de 2012, assim como o primeiro aparelho da Nokia com a plataforma. Ou seja, as coisas para eles vão piorar antes de – é o que esperamos – melhorar.

Já sabemos que poucos têm smartphones no Brasil, em comparação com EUA e Europa, devido aos preços altos dos aparelhos e tarifas de pós-pago. E, pela tabela acima, parece que nossos hermanos estão no mesmo barco: as vendas de smartphones em toda a América Latina correspondem a apenas 6% do que é vendido no mundo. Pelo menos o crescimento na região está na média: 86% em um ano.

Para saber mais detalhes, visite o site a seguir: [Canalys via Reuters/Info]

Foto por Kaspar Metz/Flickr