A saga da Sony para acabar com os vestígios dos e-mails hackeados continua, e agora a empresa está ameaçando processar o Twitter se a rede social não controlar as contas que estão compartilhando informações conseguidas no vazamento.

O Motherboard divulgou uma carta enviada por David Boies, advogado da Sony, para o conselho geral do Twitter. Nela, o advogado afirma que se “informações roubadas continuarem sendo disseminadas no Twitter”, a Sony irá “apontar a empresa como responsável por quaisquer danos ou perdas decorrentes dessa disseminação que está acontecendo pelo Twitter”.

>>> Por que a Sony atrai a ira dos hackers e não para de ser invadida

>>> A Sony tinha milhares de senhas dentro de uma pasta chamada Password

A Sony está apontando para Val Broeksmit, um músico que postou prints de e-mails hackeados no Twitter e solicitou que a empresa o avisasse da ameaça judicial. E foi o que aconteceu, de acordo com um e-mail que Broeksmit compartilhou com o Motherboard. O Twitter também explicou ao músico que “não pode prestar aconselhamento jurídico. Você precisa entrar em contato com seu advogado e falar com ele sobre o assunto”.

Mais adiante na carta, a Sony solicita que o Twitter “cumpra todas as solicitações futuras em relação a quaisquer outro usuários que estejam usando o Twitter para disseminar informações roubadas. Além disso, pedimos que o Twitter forneça uma cópia dessa carta ao dono da conta e solicitamos que ele pare de usar o Twitter para publicar informações roubadas”.

O Twitter confirmou para o Motherboard que a carta é real. O que vai acontecer daqui em diante ainda não está claro: os tuítes de Broeksmit e de outras pessoas que mostraram informações sensíveis ainda estão no ar, mas os termos de serviço da rede social deixam claro que os usuários não podem postar informações privadas de outras pessoas (embora compartilhar conteúdo sensível usando links externos seja permitido).

Abaixo, leia na íntegra a carta que a Sony enviou para o Twitter.

Sony Letter to Twitter

[Motherboard]