Com um chip Snapdragon de 1GHz da Qualcomm, display de toque capacitivo de 4", uma câmera de 8.1 megapixels e a adorável interface Rachael, o XPERIA X10 será uma entrada com o pé direito por parte da Sony Ericsson no mercado de smartphones Android.

As primeiras impressões do Engadget são de que a interface em geral está mais do que se arrastando de tão lenta, e que o Snapdragon come a bateria rapidinho, mas nós temos que ter em mente que o aparelho apresentado é uma versão preview completa, inclusive no que diz respeito a software. Quando o telefone estiver pronto para as lojas, o chip Snapdragon e a versão final da interface devem configurar o XPERIA X10 como um dos smartphones mais rápidos do mercado.

No que diz respeito à interface inacabada, a Sony Ericsson já colocou alguns toques pessoais nela, com o Timescape e Mediaescape, que agregam toda a comunicação e toda a mídia, respectivamente. Estes recursos parecem ótimos em teoria, mas o software imaturo nos deixou com dúvidas sobre exatamente o quanto isso tudo vai rodar macio e se integrar com a experiência.

No entanto, há algumas coisas claramente faltando no X10, e que não podem ser culpa da versão de pré-produção que testamos. Pra começar, praticamente não há memória interna, apesar de um cartão microSD de 8GB ser incluído para remediar isso. Outra coisa que incomoda é a ausência de gestos multitouch que já viraram padrão, como zoom e rotação. Com uma tela tão grande, é uma pena não ter isso.

O aparelho em si é bonito e atraente, não todo quadradão como alguns outros Androids. Infelizmente, sem contar estes aspectos mais estéticos, não há muito como avaliar o aparelho com base no build de pré-produção que pudemos testar. Mas se a Sony der um trato nos problemas apresentados, este pode ser um lançamento bem bacana para o início de 2010. [Engadget e CNET e Tech Radar]