Elon Musk segue a todo vapor com seu plano para levar humanos a Marte. Mas o caminho até o Planeta Vermelho será muito longo, já que testes e mais testes precisam ser feitos aqui na Terra para que tudo ocorra com segurança. Entre os experimentos estão os foguetes, e mais um dele explodiu durante uma tentativa de voo na tarde da última terça-feira (2).

O protótipo SN9, que integra a linha de naves Starship da SpaceX, entrou em colisão pouco tempo depois após ter decolado da base em Boca Chica, no Texas (EUA), por volta das 17h30 pelo horário de Brasília. A saída do solo foi como a planejada e a nave atingiu uma altitude de 10 quilômetros, além de realizar algumas manobras de teste de velocidade e estabilidade. Tudo isso sem apresentar nenhum problema.

A nave também girou na posição horizontal — no que os engenheiros chamam de “belly flop”. No entanto, ao retornar para a posição vertical e se preparar para pousar, a nave perdeu o controle e explodiu bruscamente ao atingir em cheio o solo, criando uma enorme bola de fogo no local. Não havia tripulantes e o fogo não espalhou para os arredores. Nenhum profissional saiu ferido.

Ainda não está claro o que exatamente aconteceu para a falha que causou a explosão. No momento, especula-se que houve algum problema em um dos motores usados para endireitar a nave de sua posição horizontal para a vertical. John Insprucker, engenheiro da SpaceX, disse que o voo foi ótimo, mas brincou ao afirmar que “temos de trabalhar um pouquinho neste pouso”.

A versão anterior do protótipo, a SN8, também teve o mesmo fim trágico ao ser testada em dezembro. A decolagem não apresentou problemas, mas na hora do pouso a nave passou por uma falha específica no tanque de combustível que desacelerou o foguete e fez com que ele caísse.

A Administração Federal de Aviação dos EUA, que regulamenta o uso de foguetes no país e já havia autorizado o lançamento do SN9, disse que vai supervisionar uma investigação do motivo da queda do protótipo. “Embora este tenha sido um voo de teste, a investigação prevê identificar a causa raiz deste acidente e possível oportunidades para aumentar ainda mais a segurança conforme o programa se desenvolve”, disse um porta-voz da agência reguladora.

Por enquanto, os protótipos da Starship são feitos em tamanhos reduzidos, mas o formato é o mesmo que será aplicado no modelo final. A espaçonave, que deve ser reutilizável, terá 120 metros de altura e ter capacidade para carregar 100 passageiros e 100 toneladas de carga.

[New York Times]