Até o momento, todas as missões para a órbita da Terra incluíram pelo menos um astronauta profissional empregado pelo governo. Isso está prestes a mudar esta semana, porque uma tripulação composta por apenas civis se prepara para decolar do Kennedy Space Center, na Flórida.

Tem sido um ano e tanto para a crescente indústria do turismo espacial. Em julho, tanto a Virgin Galactic quanto a Blue Origin, com seus respectivos fundadores bilionários a bordo, lançaram veículos tripulados para o limite entre a Terra e o espaço. Agora é a vez da SpaceX fazer o mesmo, mas, como praticamente tudo que a empresa liderada por Elon Musk faz, sua tentativa é um pouco mais ousada.

Para a missão Inspiration4, a SpaceX lançará quatro civis – Jared Isaacman, Hayley Arceneaux, Sian Proctor e Chris Sembroski – para a órbita, e eles ficarão circulando a Terra por três dias antes de voltarem para a costa da Flórida. Em contraste, os voos da Virgin Galactic e da Blue Origin eram suborbitais, durando apenas alguns minutos e atendendo aos requisitos mínimos para entrar no espaço.

Se tudo correr conforme o planejado, o Inspiration4 será o primeiro voo tripulado totalmente comercial a atingir a órbita baixa da Terra. A SpaceX está oferecendo um tipo inteiramente novo de viagem ao espaço, embora seja um tipo acessível apena aos ricaços.

Isaacman, o bilionário fundador e CEO da Shift4 Payments, “desembolsou uma soma não especificada, mas presumivelmente exorbitante” para que ele e três “companheiros de viagem especialmente selecionados” pudessem alcançar a órbita terrestre baixa a bordo do Resilience Crew Dragon, como relata a Reuters. A Spaceflight Now diz que a SpaceX acabará cobrando 50 milhões de dólares por pessoa para futuras missões privadas.

SpaceX
O foguete Falcon 9 e a nave Crew Dragon na plataforma de lançamento em 12 de setembro de 2021. Imagem: Inspiration4 / SpaceX

Um foguete SpaceX Falcon 9 foi lançado no Complexo de Lançamento 39A do Centro Espacial Kennedy no sábado, 11 de setembro, e a equipe realizou um ensaio geral no dia seguinte. A decolagem está programada para quarta-feira, 15 de setembro, com uma janela de lançamento de cinco horas começando às 21h02 (horário de Brasília). Atualmente, há 70% de chance de condições climáticas favoráveis. Se o lançamento for apagado, a janela de backup será reiniciada na quinta-feira, ao mesmo tempo. Este será apenas o quarto lançamento de um Dragão Tripulado.

A Resilience não será acoplada à Estação Espacial Internacional, permitindo a remoção da porta de acoplamento da Crew Dragon. Em seu lugar está a Cúpula do Dragão – uma cúpula de vidro que fornecerá uma vista deslumbrante da Terra. A SpaceX enviará a espaçonave a uma altitude de 575 quilômetros, onde viajará 22 vezes a velocidade do som e orbitará a Terra uma vez a cada 90 minutos. Para referência, a Estação Espacial Internacional está a aproximadamente 425 quilômetros acima da Terra, enquanto a espaçonave tripulada operada pela Virgin Galactic e a Blue Origin nunca ficou mais alta do 106 quilômetros acima do solo.

Isaacman, 38, será acompanhado por Hayley Arceneaux, 29, médica assistente do St. Jude Children’s Research Hospital e sobrevivente de câncer ósseo na infância; Sian Proctor, 51, geocientista e piloto licenciado; e Chris Sembroski, 41, veterano da Força Aérea dos Estados Unidos e engenheiro de dados aeroespaciais. Arceneaux será a primeira pessoa a ir ao espaço com uma prótese, bem como a mais jovem americana a orbitar a Terra. Proctor e Sembroski ganharam um concurso global para seus assentos, durante o qual mais de 110 milhões de dólares foram arrecadados para o hospital infantil. Os quatro tripulantes devem representar os quatro pilares da missão: liderança, esperança, generosidade,e prosperidade. Vale a pena lembrar que nenhum dos quatro tripulantes precisará fazer qualquer tipo de pilotagem, pois a missão é totalmente autônoma.

A primeira tripulação composta por apenas civis: Chris Sembroski, Sian Proctor, Jared Isaacman e Hayley Arceneaux. Foto: Inspiration4 / SpaceX

Enquanto estiverem no espaço, os integrantes da tripulação realizarão “experimentos de pesquisa cuidadosamente selecionados sobre saúde e desempenho humanos” com “aplicações potenciais para a saúde humana na Terra e durante futuros voos espaciais”, de acordo com o site Inspiration4. 

Com a ajuda técnica de Weill Cornell Medicine e do Translational Research Institute for Space Health (TRISH) do Baylor College of Medicine, a tripulação será acompanhada por um eletrocardiograma, que irá monitorar movimento, sono, frequência cardíaca e oxigênio no sangue, entre outras medidas de saúde. Eles também farão exames de sangue, testes de equilíbrio e percepção, além de usarem um dispositivo de ultrassom para escanear seus órgãos.

Assine a newsletter do Gizmodo

O Inspiration4 é um produto cuidadosamente e perfeitamente embalado, projetado para evitar qualquer crítica como um empreendimento com fins lucrativos. E tudo bem, vamos fingir que acreditamos. Mas mesmo que a era do turismo espacial liderado por bilionários pareça ter começado para valer, nós, pessoas normais, sabemos que vai demorar muito – se é que um dia isso vai acontecer – para termos a chance de chegar ao espaço.