Parece que teremos um vencedor na corrida pela internet espacial. A FCC, Federal Communications Commission – órgão equivalente à Anatel nos EUA –, autorizou a SpaceX a lançar o seu serviço de satélite banda larga, o Starlink. Isso significa que os americanos poderão acessar a internet vinda do espaço já em 2019.

• Elon Musk deleta páginas de SpaceX e Tesla no Facebook
• Elon Musk muda foco do Hyperloop e quer oferecer espécie de transporte público

O serviço Starlink vai funcionar de forma bem parecida com o Wi-Fi. Só que, em vez de encontrar uma rede disponível, regiões inteiras do país terão acesso à internet espacial. O sistema proposta inclui 4.425 satélites em baixa órbita que transmitirão sinal em frequências nas bandas Ka e Ku.

É igualzinho a serviços de internet sem fio oferecidos em muitos aviões. A diferença é que a SpaceX promete velocidades iguais a da fibra. O sistema deve começar a funcionar no ano que vem, depois da SpaceX colocar pelo menos 800 satélites em órbita.

“Nós valorizamos a análise rigorosa da FCC e aprovação da licença de constelação da SpaceX”, disse Gwynne Shotwell, presidente e chefe de operações da SpaceX. “Embora ainda tenhamos muito o que fazer neste empreendimento complexo, é um passo importante em direção ao desenvolvimento de uma rede de satélites de próxima geração da SpaceX que poderá ligar o mundo com um serviço confiável e acessível de banda larga, chegando especialmente àqueles que ainda não estão conectados”.

Todo mundo adora internet sem fio de alta velocidade, mas Shotwell destaca a parte realmente animadora dessa internet do espaço. Ela tornará a conectividade possível em lugares que não possuem nem um serviço de internet discada. De acordo com a FCC, cerca de 34,5 milhões de americanos não possuem acesso à banda larga fixa ou móvel onde moram.

Isso inclui áreas rurais, bem como partes de cidades que foram negligenciadas pelas empresas de telecomunicações. A Starlink também aumenta a competição em um mercado historicamente monopolizado. Afinal, muitas pessoas não possuem mais de uma escolha de operadora onde vivem. O novo sistema da SpaceX pode resolver isso.

É claro, isso ainda é um pouco especulativo. Sabemos que a internet do espaço é algo que pode funcionar. Porém, é um empreendimento bem futurístico que ainda não tem precedentes. Será que o Starlink será tão rápido quanto a SpaceX afirma? Ela chegará às pessoas que precisam dela? Teremos que esperar Elon Musk e sua turma lançar mais alguns foguetes para o espaço.

[CNBC]