O CEO da SpaceX, Elon Musk, anunciou o primeiro comprador de uma passagem para a viagem ao redor da Lua que acontecerá a bordo do Big Falcon Rocket (BFR). Trata-se do bilionário japonês Yusaku Maezawa, fundador da gigante de moda online Zozo.

Em um evento da SpaceX nesta segunda-feira (17), em Los Angeles, Musk não esclareceu quanto Maezawa vai desembolsar pela jornada, mas dá para ter uma ideia.

• SpaceX vai mandar pela primeira vez um cliente para uma viagem até a Lua
• Acharam o culpado pela perda do satélite espião bilionário a bordo de foguete da SpaceX

A fortuna de Maezawa está estimada em três bilhões de dólares, de acordo com a Forbes, e Musk afirmou que o depósito do magnata foi “significativo”. Ou seja, é provável que ele tenha pagado algumas dezenas ou até mesmo milhões de dólares.

“Ele vai pagar uma boa quantia, que ajudará com o foguete e o propulsor”, disse Musk à plateia. “No final das contas, ele está pagando para que o cidadão comum viaje para outros planetas.”

Maezawa se referiu ao futuro lançamento como a realização de um “sonho de uma vida toda” e disse à plateia: “Eu escolho ir à Lua!”


Musk estimou o custo do desenvolvimento do BFR em cerca de US$ 5 bilhões; em seguida, disse que sairia por mais de US$ 2 bilhões e menos de US$ 10 bilhões.


A SpaceX fechou com o primeiro passageiro que irá pagar para voar ao redor da Lua a bordo de nosso veículo de lançamento BFR – um passo importante para permitir o acesso de pessoas comuns que sonham em viajar para o espaço. Descubra quem está voando e por que na segunda-feira, 17 de setembro.

Musk:

Este ano, lançamos o mais poderoso veículo de lançamento do mundo com uma potência equivalente a dois foguetes e trouxemos dois dos propulsores de volta à Terra. É uma enorme mudança ao longo de 10 anos.

Quantos preveriam que estaríamos aqui? Zero pessoas, “inclusive eu”, diz Musk.

Musk deu visão geral do Big Falcon Rocket (BFR), capaz de enviar 100 toneladas métricas para a superfície de Marte com reabastecimento orbital.

De acordo com o Verge, Musk também mostrou uma nova versão do projeto do BFR, começando com um novo design que possui sete em vez de seis motores Raptor; há também mais espaço para carga na parte de baixo do foguete, e serão três em vez de duas aletas traseiras, bem como as aletas do atuador dianteiro.

Musk elogiou o potencial do BFR para ser o líder nos esforços de colonização interplanetária. Segundo o executivo, o projeto atualizado resultou num foguete de dois estágios de aproximadamente 118 metros, capaz de transportar 100 toneladas métricas de carga para uma futura colônia de Marte se for reabastecido em órbita.

O executivo afirmou que os primeiros dois testes devem acontecer dentro de dois ou três anos, como aponta o Washington Post. O lançamento de Maezawa deve acontecer em algum momento de 2023. A maior parte do trabalho feito até agora tem sido nos componentes da cápsula e não no foguete em si.

O foguete ainda está longe de ser concluído. Musk anunciou, diversas vezes, metas de desenvolvimento que nunca deram certo. No final das contas, o foguete ainda é um conceito.

Segundo o New York Times, Maezawa “talvez seja mais conhecido” pela compra de uma pintura de um crânio, de 1982, feita por Jean-Michel Basquiat. Ele gastou US$ 110 milhões na obra, e a irmã do artista, Lisane Basquiat, disse que sua família ficou “sem palavras” após a aquisição. Maezawa disse ainda que sua intenção é levar de cinco a oito artistas na viagem, como parte de um projeto chamado Dear Moon, para criar arte no espaço.

Musk esclareceu que Maezawa era um dos dois passageiros que deveriam voar para o espaço a bordo do Falcon Heavy, mas o projeto foi cancelado em junho. As atualizações da linha de foguetes Falcon 9 acabou tirando a grana do desenvolvimento desse projeto maior.

Como o New York Times observou, o Falcon Heavy passou por apenas um teste, e a SpaceX não planeja mais utilizá-lo para voos com humanos. Não está claro se o projeto ainda seguirá em frente. A cápsula de tripulação Space Dragon, cujo objetivo é levar os astronautas à Estação Espacial Internacional, não cumpriu o objetivo inicial de lançamento, que seria em 2017, e não terá um teste tripulado pelo menos até 2019.

Segundo a revista Atlantic, Musk disse que haverá vários testes do BFR antes de ele entrar em operação:

Musk disse que a SpaceX conduzirá vários lançamentos de testes do BFR. A viagem para a Lua duraria de quatro a cinco dias, segundo o magnata. Após o lançamento, o BFR fará várias correções de percurso e completará uma volta ao redor da Lua antes de retornar à Terra, onde pousará na vertical, em uma manobra que a SpaceX foi pioneira com seus foguetes Falcon 9. “Isso realmente sera épico de ver pessoalmente”, disse Musk.

Ao contrário da Tesla, que também pertence à Musk, a SpaceX se esquivou da maioria das controvérsias autoinfligidas pelo CEO (incluindo um processo por difamação, tuítes desaconselháveis e dramas pessoais expostos em público). Como o Post observou, a empresa tem tido grande sucesso com “34 lançamentos consecutivos nos últimos 20 meses” e um “grande acúmulo de contratos para lançamentos comerciais”.

Mas não está claro se toda a pompa acabará refletindo a realidade.

“Eu aconselharia não fazer muito oba-oba com um anúncio sobre um voo circunlunar”, disse o ex-historiador-chefe da NASA, Roger Launius, ao Daily Beast. “Pode acontecer, talvez não. Tem havido muita publicidade sobre o que vai acontecer no espaço, mas vemos poucas mudanças com o passar do tempo.”

[New York Times/Washington Post/The Verge]

Imagem do topo: Elon Musk e Yusaku Maezawa em um evento da SpaceX na segunda-feira. Crédito: Chris Carlson (AP)