De acordo com Steve Jobs, rodar vídeo em Flash no iPad iria reduzir a duração da bateria das 10 horas para mera 1,5h. Pelo menos, foi isso que ele falou a executivos do Wall Street Journal recentemente. Mas será que é verdade?

Bem, sim e não. Jobs escolheu entre duas versões hipotéticas do Flash para falar isso. Se a versão do Flash para iPad tivesse aceleração por hardware, o que o Flash 10.1 oferece para PCs (mas não para Mac OS X), isso estaria longe de ser verdade. Se o Flash no iPad tivesse suporte a decodificação de vídeo por hardware quando disponível, ele não precisaria usar tanta CPU. A duração da bateria seria menor, claro, da mesma forma que se gasta bateria para ver qualquer vídeo, mas nada tão dramático quanto 85% de perda.

Claro, a aceleração de hardware ainda hoje não é possível para Macs, porque a Adobe não tem acesso aos APIs apropriados. Então Jobs pode falar facilmente sobre uma versão hipotética do Flash que não tem aceleração por hardware e inventar uma duração hipotética de bateria.

A maior mentirinha do Jobs parece ser desprezar o Flash como sendo "trivial". Porque o Flash não é trivial. O HTML5 é bom, mas não é ótimo — ainda. E mesmo quando ele for ótimo, vai demorar anos para grandes sites mudarem do Flash para HTML5 — o tempo que a maioria dos usuários de internet demorar para parar de usar navegadores ultrapassados. E isso não vai acontecer tão cedo. Com certeza vai demorar mais que as primeiras gerações do iPad.

Então, será que a bateria do iPad só duraria 1h30min? Talvez sim, talvez não. Mas a pergunta maior é: será que nós teremos a chance de descobrir isso, com um iPad com Flash? [Gawker]