Aconteceram movimentos enormes na lista das Pessoas Mais Poderosas do Mundo da Forbes: os co-fundadores do Google, Sergey Brin e Larry Page, caíram da 5ª posição para a 22ª, enquanto Steve Jobs subiu da 57ª posição para a 17ª.

Bill Gates, apesar de sair da confortável cadeira de CEO da Microsoft, é a única pessoa de tecnologia entre as dez primeiras da lista; ele está em 10° lugar, mesma posição do ano passado. Entre presidentes, primeiros-ministros e reis encontram-se Mark Zuckerberg, do Facebook, na 40ª posição, Jeff Bezos da Amazon em 60° lugar, e Julian Assange, editor-chefe do Wikileaks – site que publica documentos vazados de governos e empresas, e que recentemente revelou todos os documentos da Guerra do Iraque – em 68° lugar.

Do Brasil, temos duas pessoas na lista: a presidente eleita Dilma Rousseff, em 16° lugar, e o empresário bilionário Eike Batista na 58ª posição. A Dilma também está na lista das 100 mulheres mais poderosas do mundo, em 95° lugar. Ano passado, a lista de pessoas mais poderosas do mundo contava com o presidente Lula e o governador do Mato Grosso, Blairo Maggi – ambos saíram da lista este ano.

Vale notar também que o presidente da China, Hu Jintao, é considerado mais poderoso que Barack Obama – eles estão, respectivamente, na primeira e segunda posições da lista. Se você acha que a China é só um país de Terceiro Mundo que fabrica produtos falsos… pense de novo.

A Forbes peneirou 68 pessoas dentre as 6,8 bilhões no mundo para fazer esta lista, escolhendo-as porque "eles fazem o mundo se curvar às suas vontades", listando quatro fatores decisivos: se eles têm influência sobre outros; seus recursos financeiros em relação à concorrência; se eles têm poder em mais de uma área; e se eles de fato usam esse poder. [Forbes]