A última vez que Steve Jobs participou da conferência por telefone sobre os resultados financeiros da Apple, foi para garantir aos investidores que ele estava bem de saúde. Então por que ele passou uma hora respondendo perguntas? Eis o que Jobs disse, e o que isso significa.

Steve sobre a RIM, fabricante do BlackBerry (ou sobre o Windows Phone 7)

Nós agora ultrapassamos a RIM e não os vejo nos alcançando num futuro próximo. Eles precisam ir além da área de solidez e conforto [e ir] para o território desconhecido de se tornar uma empresa de plataforma de software. Eu acho que seria um desafio para eles criar uma plataforma competitiva e convencer desenvolvedores a criar apps para mais uma plataforma de software de terceiros, depois do iOS e do Android. Com 300.000 apps na app store da Apple, a RIM tem uma montanha bem alta à frente deles para escalar.

É muito fácil criticar a BlackBerry, mas essa não é a única empresa à qual Jobs está fazendo referência aqui. Troque "RIM" por "Microsoft", e você consegue ter uma boa ideia de como a Apple vê – ou quer que os desenvolvedores vejam – o Windows Phone 7. Mas não esqueçamos que se tem uma coisa que a Microsoft conhece, é software. Por isso eles são uma ameaça bastante crível.

Steve sobre plataformas abertas (Android) e fechadas (iOS)

Jobs gosta de comparar celulares quando fala sobre a RIM, mas quando o assunto é Android ele prefere exibir as estatísticas do iOS. Tire os 4,1 milhões de iPads e 250.000 Apple TVs vendidos no trimestre passado, e a Apple não fica muito à frente. Quanto ao debate plataforma aberta vs. fechada, Jobs tem um ótimo argumento: apesar de ser aberto – ou porque é aberto – o maior problema do Android é a fragmentação, e por ser aberto ele permite às fabricantes criar interfaces geralmente horríveis, que só pioram os aparelhos.

Eu acredito que, pelo menos agora, esta é uma batalha por desenvolvedores, e uma batalha pelo mindshare [reconhecimento da marca] dos desenvolvedores, e uma batalha pelo mindshare dos consumidores, e eu acredito que agora o iPhone e o Android estão vencendo esta batalha.

Enquadrar a batalha dos smartphones em termos de atrair desenvolvedores faz duas coisas para Jobs: primeiro, atrai desenvolvedores; segundo, define sucesso por uma métrica – quantidade e qualidade de apps – onde o iOS está à frente de forma aparentemente insuperável.

Steve sobre porque o iPad é invencível

Quanto mais o tempo passa, mais eu me convenço de que estamos segurando um tigre pela cauda [uma situação difícil de administrar, mas que não pode ser abandonada]. E este é um novo modelo de computação, e você sabe, nós já temos dezenas de milhões de pessoas treinadas a usá-lo com o iPhone, e isso se aplica a vários aspectos diferentes da vida, tanto pessoal, educacional e profissional. Então eu o vejo como algo com utilidade bastante ampla, e eu o vejo como algo grande. E o timing, dá para falar sobre o timing eternamente, mas eu não acredito que alguém poderia dizer que ele não vai acontecer mais.

Quanto mais Jobs fala sobre o iPad, mais fica aparente que ele vê o tablet como o verdadeiro legado dele na Apple. E à medida que laptops e netbooks são substituídos por tablets da nova geração, ele será o cara que nos deu esses tablets pela primeira vez.

Eu acredito que parte [da nossa vantagem de preço no iPad] é porque fazemos nós mesmos a engenharia da maior parte dele. O chip A4 dentro dele é uma criação da Apple. Tudo que mencionei, da química da bateria ao invólucro, e aprendemos muito com a miniaturização que fizemos nos iPods e iPhones, e somos uma fabricante de eletroeletrônicos de volume muito alto, então acredito que aprendemos muito, e desenvolvemos muitos dos nossos componentes, enquanto outros têm que comprá-los no mercado, com intermediários querendo parte dos ganhos, e acredito que somos arquitetos de sistemas e sabemos como construir sistemas de forma bem eficiente. Então acredito que este é um produto para o qual estivemos treinando por quase uma década.

Integração vertical: se for bem feita, você tem um ecossistema quase impossível de se vencer. Se for mal feita, você vira a Sony. Até agora, a Apple fez bem feito.

Steve sobre o Flash

Q: Alguma opinião sobre Flash?

SJ: Memória flash? Nós amamos memória flash!

Um brincalhão, esse Jobs! Mas sério, ele odeia o Flash.

O Flash não apresentou quaisquer problemas, e como você sabe a maior parte do vídeo na web está disponível em HTML5, e você sabe, tendo a loja de mídia iTunes e mais de 35.000 apps no iPad reduz qualquer outra coisa, e acreditamos que nós temos um produto muito bom que será difícil de igualar, e ainda nem terminamos.

Quanta modéstia! Bem, se há mais vídeo disponibilizado via HTML5 hoje do que antes, é porque não havia pressa dos fornecedores de conteúdo em levar conteúdo ao iPad.

Steve sobre a Apple TV

Eu posso afirmar que em um período bem curto de tempo, nós já vendemos um quarto de milhão. Mais de 250.000. E estamos entusiasmados com isso. Eu acredito que ele é um produto ótimo, e seu preço de US$99 é bastante atraente, e que quando implantarmos o AirPlay antes do final deste ano, as pessoas terão mais um motivo para comprá-la.

Colocando o número de 250.000 de lado, vale notar que nosso Joel Johnson estava certo: é o AirPlay – protocolo para streaming de música, vídeo e fotos entre dispositivos da Apple – que vai atrair mais pessoas para a Apple TV.

Steve sobre tablets de 7 polegadas

Nós acreditamos que a safra atual de tablets de 7 polegadas já nasceu morta. As fabricantes deles vão aprender a dolorosa lição de que os tablets deles são pequenos demais, e vão aumentar o tamanho ano que vem, portanto abandonando com um produto órfão tanto consumidores como desenvolvedores que acreditaram no tamanho de 7 polegadas. Parece bastante divertido daqui pra frente.

Os motivos que Jobs deu para a morte do tablet de 7 polegadas foram muitos, mas todos eles se resumem no tamanho. Muito pequeno para ser confortável, muito grande para o Froyo. Para o Steve, 10 polegadas é o tamanho ideal para tablets, e ponto final. E para os consumidores? Eles terão a chance de decidir em breve.

O motivo pelo qual não faríamos um tablet de 7 polegadas não é porque não queremos chegar a um preço mais baixo – é porque não acreditamos que se possa fazer um ótimo tablet com uma tela de 7 polegadas. Nós achamos que ela é pequena demais para expressar o software que as pessoas querem colocar nestes dispositivos. E nós nos pensamos como uma empresa voltada para software, nós pensamos primeiro sobre as estratégias de software – e sabemos que os desenvolvedores de software não vão lidar muito bem com todos esses produtos de tamanhos diferentes quando tiverem que refazer o software cada vez que o tamanho da tela mudar, e eles não vão lidar bem com produtos se não for possível colocar neles elementos na tela o suficiente para criar os apps que eles querem criar. Então quando fazemos decisões sobre não fazer tablets de 7 polegadas, não é uma questão de custo, e sim de valor do produto quando se considera o software.

Bem, aqueles rumores de iPads de 7 polegadas já pareciam frágeis antes, imagine agora. Mas o mais importante é como a Apple vê a concorrência – os tablets Samsung Galaxy Tab e Dell Streak, com telas menores que 10 polegadas. Até que tenhamos mais tempo os aparelhos nas mãos, é difícil saber se a concorrência é páreo para o iPad, ou se Jobs apenas espera que eles sejam.

Você está vendo isto de forma errada, você está vendo isto como uma pessoa de hardware em um mundo fragmentado. Você está vendo isto como uma fabricante de hardware que não sabe muito de software, que não pensa muito sobre um produto integrado e que assume que o software vai dar um jeito em si mesmo. E você senta e pensa, "bem, como podemos tornar isto mais barato? Bem poderíamos colocar uma tela menor nele, um processador mais lento, menos memória". E você assume que o software vai ganhar vida mesmo assim nesse produto que você está imaginando, mas não vai. Porque os desenvolvedores dos apps aproveitaram as vantagens dos produtos que vieram antes, com processadores mais rápidos, telas maiores, mais possibilidades que eles podem usar para criar apps melhores para os consumidores… A maioria [dos desenvolvedores] não vai seguir você, a maioria deles vai dizer "desculpa, mas não vou voltar e escrever uma versão inferior do meu app só porque você tem esse celular que custa US$50 a menos, e você está me implorando para escrever software para ele".

Olá pra vocês, Galaxy Tab e Dell Streak! Mas isso não é apenas Jobs falando mal da concorrência por falar. A fragmentação do hardware, e especificamente hardware que levava a uma experiência de software terrível, foi o que matou o Windows Mobile – por isso que as fabricantes que usam o Windows Phone 7 precisam aderir a diretizes rígidas de hardware.

Steve sobre o que fazer com tanta grana

Nós acreditamos fortemente que uma ou mais oportunidades bastante estratégicas podem chegar… Estamos em uma posição única para aproveitá-las devido à nossa posição forte em caixa… Nós gostaríamos de continuar a estar prontos, porque sentimos que há uma ou mais oportunidades estratégicas no futuro.

A Apple não compra empresas tanto quanto o Google ou a Microsoft, mas quando eles compram, o objetivo deles é claro: as patentes da Liquid Metal para dispositivos mais resistentes. A Lala para um dia colocar o iTunes na nuvem. A PA Semi para fazer seus próprios processadores móveis. Então se a Apple está juntando dinheiro vivo agora, saiba que é para fazer algo grande.

Crédito do vídeo: Business Insider