De acordo com Hans Van Tillburg, "[o submarino I-201] não era nada do que os outros tinham na Segunda Guerra Mundial. Ele tinha um corpo e torre aerodinâmicos e armas retráteis" e três aviões bombardeiros lançados por catapultas. Eles acabaram de encontrá-lo no Havaí.

De acordo com Van Tillburg, ele parece mais um submarino da Guerra Fria do que da Segunda Guerra. Capaz de carregar 144 pessoas por 59.500 km, ele era três vezes maior do que os submarinos de hoje. O Japão queria usar estes submarinos para lançar ataques aéreos nos EUA. Para fazer isso, ele usou três bombardeiros Aichi leves, cada um capaz de carregar uma bomba de 800kg. Quando se completou a missão, os aviões bombardeiros retornaram ao submarino, pousando na água usando boias.

Os japoneses também tinham outro truque sujo na manga: usar os submarinos para lançar ratos infectados com a peste e insetos carregados de cólera, dengue e tifo. Felizmente, eles nunca conseguiram colocar isso em prática, porque os americanos derrubaram uma lata grande cheia de átomos neles.

Estes submarinos eram tão avançados que, depois de serem capturados e inspecionados pelos EUA, eles foram naufragados para que os soviéticos não pudessem inspecioná-los. Os japoneses foram os pioneiros em desenvolver tecnologia avançada de ataque aéreo em submarinos. O míssil de cruzeiro foi desenvolvido depois, durante a Guerra Fria. Hoje em dia, a Marinha americana está trabalhando em aviões teleguiados lançados a partir de submarinos, que podem levantar voo de dentro da água.

O I-201 do Japão Imperial era irmão do I-401, que foi localizado em 2005. [National Geographic via Daily Mail]