O rover Perseverance, que está explorando Marte, fez um registro curioso: um pedaço de papel alumínio entre pedras marcianas. O objeto faz parte de uma manta térmica — uma espécie de cobertor — que protegeu o rover durante o pouso no planeta vermelho.

Segundo a agência espacial, o pedaço da manta foi encontrado há cerca de dois quilômetros de distância do local de pouso do Perseverance – que chegou ao planeta vermelho há mais de um ano. A agência acredita que ele deve ter vindo do jetpack (foto abaixo), um módulo de descida que usa retrofoguetes para desacelerar a sonda e soltar suavemente o rover sobre a superfície.

Foto do jetpack tirada durante o pouso do Perseverance em Marte, em fevereiro de 2021. Imagem: NASA/Divulgação
Foto do jetpack tirada durante o pouso do Perseverance em Marte, em fevereiro de 2021. Imagem: NASA/Divulgação

Lixo espacial em Marte

Por incrível que pareça, encontrar destroços em Marte não é algo incomum. Em abril deste ano, o helicóptero Ingenuity fez esta foto do escudo traseiro e do paraquedas do Perseverance, em meio a um campo de detritos. Porém, encontrar a manta térmica tão distante do local do pouso foi uma grande surpresa.

A NASA levanta a dúvida se o cobertor caiu entre as pedras durante o pouso ou se foi levado pelo vento até lá. Por mais que esta pareça uma questão trivial, a NASA tem interesse em responder a essa dúvida, pois ela gera insights para os engenheiros da agência sobre como os componentes de uma sonda se comportam durante o procedimento de entrada, descida e pouso em Marte.

Detalhe do pedaço da manta térmica encontrada em Marte. Imagem: NASA/Divulgação
Detalhe do pedaço da manta térmica encontrada em Marte. Imagem: NASA/Divulgação

O Perseverance pousou em Marte em fevereiro de 2021 e tem como missão principal buscar sinais de vida microbiana antiga no planeta. Além de estudar a geologia e o clima do nosso vizinho de Sistema Solar – o que abre caminho para futuras missões espaciais tripuladas –, o rover tem coletado e armazenado rochas e regolitos marcianos, para que uma sonda futura os tragam para a Terra na próxima década.