Aconteceu ontem em São Paulo a final do Spark Awards 2015, premiação feita pela Microsoft em parceria com a StartupFarm para os nomes que se destacaram no ramo de startups e empreendedorismo. A grande vencedora da noite foi a Sympla, plataforma de venda de ingressos, que levou o prêmio de Startup do Ano. Além dela, outros nomes importantes no cenário brasileiro, como Cubo, Redpoint e.ventures e Estácio também foram premiados.

A Sympla é uma plataforma de venda de ingressos que pode ser usada por qualquer produtor em seu evento, indo desde a divulgação e promoção até o sistema para entrada e verificação dos ingressos no local. Uma passada rápida no site deles mostra o sucesso da ideia: são festivais de música, oficinas de produtividade, shows, festas e até rodeios usando a solução.

“Nós atuamos em todo o ciclo de vida do evento. Hoje, já estamos com 2.500 eventos sendo vendidos simultaneamente pelo site. É uma solução self-service para o produtor e já tem três anos e meio no mercado”, conta Rodrigo Cartacho, cofundador e CEO da Sympla, escolhida para levar o troféu para casa — as outras finalistas eram a Foxbit e a Agrosmart. “É uma honra gigante. Só de ser indicado, já é uma honra; ganhar, então, nem se fala. Acho que mostra a nossa maturidade no mercado brasileiro, de acreditar em quem está preocupado em fazer fogo, e não em vender fumaça.”

Spark Awards

A premiação, com 12 categorias, foi idealizada pela Microsoft e teve sua primeira edição em 2013. Ela é feita em duas fases: na primeira, há uma votação popular ampla e uma equipe da Microsoft faz uma curadoria entre os mais votados para definir os nomes mais interessantes, que seguem para a fase final, em que os vencedores novamente são decididos por votação popular.

“O Spark Awards surgiu há três anos como uma brincadeira, para que a gente pudesse reunir todo mundo e celebrar”, conta Silvia Valadares, gestora da comunidade de startups da Microsoft. “O prêmio evoluiu. A gente abre para votação popular, então ele é extremamente democrático. O que a gente quer é que as pessoas digam quem se destacou no ano, tudo referente ao que faz sentido para esse ambiente empreendedor.”

Outros vencedores

O prêmio de Startup do Ano não é o único do Spark Awards. São, ao todo, 12 categorias, todas relacionadas ao empreendedorismo digital. Outras grandes vencedoras da noite foram a Redpoint e.ventures — vencedora da categoria Fundo de Investimentos e que teve o Cubo, seu espaço de coworking feito em parceria com o Itaú, eleito como melhor coworking do ano; e a Estácio — eleita melhor universidade e vencedora da categoria Aceleradora com sua Espaço Nave.

Veja a lista dos ganhadores em cada categoria:

  • Aceleradora: Espaço Nave
  • Assessoria de Imprensa: Dialetto Comunicação
  • Assessoria Jurídica: Velloza e Girotto Advogados Associados
  • Coworking: Cubo
  • Equipe Fundadora: Chefsclub
  • Fundo de investimentos: Redpoint e.ventures
  • Investidor Anjo: João Kepler
  • Comunidade de Startups: San Pedro Valley
  • Reportagem: “O futuro é agora”, de Thomaz Gomes (Pequenas Empresas Grandes Negócios)
  • Universidade: Estácio
  • Startup do Ano: Sympla