O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, na Campus Party Brasil

Ontem, descobrimos que a Receita Federal não quis conceder isenção fiscal a tablets no Brasil. Mas imaginávamos que seria questão de tempo até o governo tomar (ou pelo menos prometer) uma atitude para deixá-los mais acessíveis. E isso até que veio rápido: o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que o governo pode zerar os impostos para quem fabricar tablets no Brasil.

O ministro disse ontem que quer dar aos tablets o mesmo tratamento que os computadores recebem – isenção de impostos, basicamente. A ideia é baixar preços e estimular a instalação no país de fabricantes de tablets. E o benefício viria através da própria Receita Federal, sem precisar de uma nova lei. Paulo Bernardo não deu prazo para isso acontecer, no entanto.

Pelas palavras do ministro agora e nos dois últimos meses, quando ficou explícita a intenção de popularizar os tablets, parece que o foco é em fomentar a indústria brasileira, não em baratear as importações. Quer dizer, até onde entendemos, os benefícios devem ir para empresas nacionais, como a Positivo, e para grandes fabricantes de tablets, se elas montarem seus tablets por aqui. Como a Samsung e a Motorola já fabricam seus tablets aqui – e quem sabe Eike Batista traga fabricantes da Apple para o Brasil – o futuro dos tablets no Brasil parece… mais acessível. [Agência Brasil]

Foto por Campus Party Brasil/Flickr