Música a capella – o tipo que consiste apenas da voz humana, e já foi restrito a quartetos vocais, igrejas e grupos de canto de escolas. Agora está tendo um momento cultural.

O sucesso de programas de TV como Glee e The Sing-Off são os exemplos mais óbvios (Glee até mesmo inspirou seu próprio app de karaokê), mas a febre da harmonia vocal vai muito além disso. O mundo da música independente, por exemplo, colocou Brian Wilson em um pedestal há anos. E não parece que essa tendência vai mudar em breve, já que os famosinhos da harmonia como Bom Iver continuam sendo indicados a Grammys e colaborando com Kanye.



Talkapella (grátis para iOS) chega bem a  tempo para aproveitar esse momento de destaque no estilo a capela. Como seu app irmão, Songify, o Talkapella transforma sem esforço um discurso qualquer em música. Mas ao invés do resultado pop contemporâneo do Songify, o Talkapella transforma sua fala em (adivinha só), uma rica harmonia a capella.

É uma premissa atraente, e o Talkapella cumpre isso com facilidade. E o funcionamento não poderia ser mais simples: Clique no botão para gravar e comece a falar, o app cuida do resto.

Usando efeitos similares ao famoso Auto-tune, o Talkapella muda automaticamente o tom da sua voz para acompanhar várias melodias e harmonias pré-definidas. Com a ajuda de mais alguns efeitos automáticos, incluindo esticar o som das suas vogais para uma “cantoria” mais realista e ocasionalmente fazendo compensação em uma das vozes da harmonia para simular um cânone, o Talkapella produz rendições musicais impressionantes de qualquer fala que você jogar nele.

O app vem com duas músicas grátis que você pode usar, e tem muitas outras disponíveis para compra dentro do app. E apesar de a maioria ser bastante tradicional – ritmos folk, Corais de Bach, a Abertura de Guilherme Tell, para citar alguns – o som que essa coisa produz não é nada tradicional.  O efeito meio Auto-Tune dá à sua voz um som robótico legal que é familiar para qualquer um que tenha passado até mesmo um mínimo de tempo ouvindo música pop em 2011, enquanto harmonias em camadas fazem com que coisa toda soe como se fosse de outro mundo. Esse efeito é mais James Blake do que Jesse St. James, então se você está procurando músicas estilo Glee, esteja avisado.

Entretanto, se você sempre quis transformar qualquer coisa que dissesse em um mantra entoado por um coro de robôs do Daft Punk, já pode parar de procurar.

O Talkapella cria um player inline bem útil quando você compartilha uma música via Facebook. E os desenvolvedores do Khu.sh (agora parte do Smule) ganham pontos bônus por deixar tão fácil compartilhar suas músicas do Talkapella via Facebook, Twitter e E-mail – tudo isso pode ser feito com apenas alguns cliques. É fácil imaginar que essa coisa vai pegar como uma maneira de deixar mensagens de aniversário e afins para os amigos, então ter uma maneira rápida de compartilhamento é bacana. A função de e-mail é especialmente útil, já que é uma maneira rápida de exportar suas músicas e salvá-las para ouvir depois.

E foi isso que eu fiz com a minha melhor criação no Talkapella. Com o ritmo do (o que mais poderia ser?) cânone em Ré Maior de Pachelbel, eu deixo com vocês o “Evolver.com Jam No. 2,” em toda a sua glória harmônica e robótica.

O Evolver.fm observa e analisa o cenário de apps musicais, acreditando que eles são cruciais para a maneira como os humanos experimentam a música e como esta experiência está evoluindo.